Fim da DM9 comove nas redes

Buscar

Comunicação

Publicidade

Fim da DM9 comove nas redes

Marca emblemática da publicidade brasileira deixará de ser usada após incorporação da DM9DDB pela Sunset. Nova operação se chamará SunsetDDB e será liderada por Guto Cappio


19 de dezembro de 2018 - 9h11

Atualizada 20 de dezembro de 2018 – 8h00

Presente há 43 anos no mercado publicitário brasileiro, a marca DM9 deixará de ser usada após a incorporação da DM9DDB pela Sunset. Nova operação se chamará SunsetDDB e será liderada por Guto Cappio, atual presidente da Sunset. Desde que a informação foi revelada por Meio & Mensagem na tarde de terça-feira, dia 18, diversos profissionais do mercado estão se manifestando nas redes sociais, muito deles por terem passado ou mesmo se formado profissionalmente na DM9 (veja algumas postagens abaixo).

A marca é uma das principais da história da publicidade brasileira. Surgiu em 1975, em Salvador, quando o publicitário Duda Mendonça nomeou a agência que lançava com suas iniciais. Em 1989, a empresa foi comprada por Nizan Guanaes e Guga Valente, que tiveram o banco Icatu como financiador da empreitada e transferiram a sede da DM9 para São Paulo e fizeram uma associação internacional com a rede DDB.

Apesar da agência ter enfrentados dificuldades nos últimos anos – que motivaram a incorporação pela Sunset –, a marca DM9DDB continua com um enorme recall junto aos executivos de marketing. Na pesquisa Agency Scope, que ouviu 376 executivos de marketing, entre maio e setembro deste ano, a agência aparece como segunda colocada no ranking de conhecimento espontâneo, no qual os entrevistados podem citar quantas agências se lembrarem (a Africa é a primeira; e a Ogilvy, a terceira).

Veja, a seguir, trechos de postagens nas redes sociais:

Sérgio Magalhães
Um ultimo layout de muitos.
Sentiremos saudade de tudo!
#ripdm9

 

Marco Versolato
A DM9 é o BOPE das agências, depois que você passa por essa escola, você está pronto para qualquer coisa. Muita gente boa, muita gente do bem, muito trabalho bom, muitos reconhecimentos e o mais importante, segurando a reputação da DM9 lá no alto. Conhecendo a DM9 de perto como conheci, não me surpreenderia se ano que vem, ela apareça de volta em outro formato, em outro lugar. Na torcida.

 

 

Sérgio Gordilho
DM9, #obri9ado por tudo!

 

André Kassu‏
A DM9 formou gerações mesmo fora de lá. A gente estudava o trabalho, guardava os nomes da equipe, antipatizava com alguns aspectos, admirava outros. Era bom gostar e desgostar.

André Pedroso
Não existe nada igual e nunca existirá uma agência como a DM9. As novas agências moderninhas que surgiram agora nunca chegarão nem perto de construir a história que foi construída com tanta gente cheia de talento, garra e parceria que passou por lá.

Gal Barradas
Minha timeline está repleta de textos emocionados sobre a DM9. Nāo é pra menos. Alguém tem dúvida do significado desta marca? Para nós, baianos, ela tem uma dimensāo ainda maior: era a agência fora de Rio-Sāo Paulo que ganhava Leōes, Clios etc; a agência dos comerciais inesquecíveis; a agência-sonho de todo estudante que queria ser publicitário. Resumindo: DM9 sempre foi Criatividade e Sucesso. Me orgulho desta Escola. A DM9 de Sāo Paulo manteve este significado. Isso é marca. Por isso, deperta paixōes. Simples assim. Hoje, vemos apenas mais um exemplo de empresas que compram empresas e um dia acabam com suas marcas. Qual o significado disso?

Jader Rossetto
Foi legal demais! Obrigado a todos por tantos anos felizes! Ficarão para sempre em nossas memórias e na história da 1 agência brasileira a conquistar o mundo!

Álvaro Rodrigues
Obrigado por tudo, DM9. O que a gente aprende na escola, leva pra sempre.

Rodrigo Corbari
Nunca foi meu plano morar em SP. Mas sempre foi meu sonho trabalhar numa agência como essa. Bye bye DM9. Te devo quase tudo que sei hj.

Danielle Bibas
E aí nos despedimos de uma das grandes marcas da publicidade Brasileira. Nunca fui cliente deles, mas sempre acompanhei e apreciei de fora, aquela que foi uma das grandes escolas de talentos criativos no país. So long, Farewell DM9.

Marcelo Siqueira
Eu que vinha da Almap que era um Audi, onde tudo funcionava com lógica e precisão alemã, cheguei na DM9 e entrei numa grande Caravan cheia de gente dentro se arrumando no espaço, uma família barulhenta e unida que sempre deixará saudades. A DM9 foi minha principal escola (a mais longa delas), minha segunda casa e minha segunda garagem. Lá entrei diretor de arte e saí redator. A DM9 tem o passado mais impressionante e as maiores reviravoltas de todas as agências brasileiras. A DM9 é a série que você seguiria grudado no Netflix. Hoje foi o último episódio. Espero que surja um patrocinador do nada e que venha uma nova temporada. E não demore tanto assim para vir como Game of Thrones.

Michel Lent Schwartzman
Era fevereiro de 2000 quando desembarquei em SP para trabalhar na DM9. Casa que me convidou para o mundo da publicidade, onde me tornei diretor de criação e ganhei meus primeiros prêmios internacionais. A DM9 de 2000, logo após a sua venda para a DDB, era uma das mais imponentes agências do mercado brasileiro. Foi berço do Grupo ABC e uma verdadeira escola da propaganda. Ter trabalhado lá foi um gigantesco privilégio. Com a fusão com a Sunset, a marca DM9 se encerra em definitivo e, com ela, acaba uma das mais, se não a mais importante agência de publicidade que o Brasil já viu.

Vinicius Reis
Extremamente triste com o fim da marca DM9. Fiz parte daquela história. Todos no mercado brasileiro de uma certa maneira fizeram. Nos inspiramos e bebemos da fonte. Sempre contei para as pessoas que minha base na carreira de propaganda foi forjada ali. E me orgulho muito disso.

Alexandre Lucas
Na DM9 eu conheci minha mulher. Conheci alguns dos meus melhores amigos. Conheci o Tomás e o Domingos, que mudaram a minha vida. Conheci o mundo e testemunhei o mundo aplaudindo a DM9. Triste.

Ricardo Polmon
Muito triste a notícia da DM9. Passei grandes momentos lá. Ficarão na minha memória muitas alegrias nas minhas duas passagens por essa grande agência.

Adriano Matos
1997. O site da DM9 trazia um desafio aberto a estudantes de todo o país, valendo um estágio: “Como você daria sequência à campanha dos mamíferos?”
Respondi com meia dúzia de ideias, nenhuma genial. Pra minha supresa, fui chamado a SP para uma conversa com Nizan Guanaes. Sim. A lenda.
Nizan viu meu “portfólio” (um apanhado de trabalhos universitários toscos) na velocidade com que se passa um flip book.
“Você está muito cru”. Em seguida desenhou um triângulo e começou a preenchê-lo.
“Existem criativos principiantes, eficientes e fenômenos. Qual você acha que você é?”
“Principante?”, arrisquei humilde.
“Não. Você está aqui.” E apontou para uns 20 cm longe do triângulo.
“Você ainda nem entrou. Volte pro RJ, ignore a faculdade, ache um estágio. Foda-se o toteísmo e a teoria da comunicação, você precisa de prática. Ah, ano que vem você não precisa cabdidatar-se. Vem direto falar comigo.”
Tudo durou 10 minutos no máximo. 10 minutos que mudariam minha vida.
Mas 10 anos mais tarde, realizei o sonho de trabalhar na DM9. E 2 anos depois, ganhei um Leão de filme pela agência.
DM9 me traz a cabeça e ao coração um turbilhão de sentimentos e pensamentos.
O menino de 20 anos e o homem de 30 hoje se despedem saudosos.
Obrigado por tudo, DM9.

Fernando Fernandes
Aqui jaz DM9? Não acredito. O que eu acredito é que a DM9 sempre estará presente no cenário nacional, porque não existiria esse mercado sem essa escola da publicidade brasileira e porque não dizer mundial, acredito que são poucas as agências hoje que não tenha um pouco de DM9 no seu “corpo de funcionários”. Aprendi com o cara que me “formou como profissional” Pablo Leiva Valenzuela que uma agência não está feita de paredes mas sim de pessoas, são as pessoas que fazem, que são e que sempre serão DM9.

Sérgio Brandão
A DM9 foi o meu colégio, a minha “Praia” e a minha “Universidade” para fazer amigos em São Paulo. A DM9 tinha esse ritmo de “vida louca”. Trabalhávamos 24/7 e achávamos o maior barato. Na DM9 estreei na Publicidade como negócio. Aprendi pacas. Uso muito no meu dia a dia até hoje e tudo fica bem mais fácil. Não paro de relembrar as histórias que ficam ainda mais divertidas e malucas com a passagem dos anos. Fui extremamente feliz. Era muito boa a atmosfera da “Turma”, como falávamos. Porque o jogo era em Turma, em bloco e não individual. Essa era a cultura da casa. Porque nada se faz sozinho nesse negócio. Lição aprendida lá atrás na DM9. Eram muitos craques, ao mesmo tempo, no mesmo lugar.

Sergio Scarpelli
Lembro como se fosse hoje. Quando falavam em DM9 pra mim esfriava minha barriga. Era ainda um Redator Júnior bem Júnior. Ia para a ECA e comentava com meus colegas sobre outdoors do Dunkin’ Donuts, dos textos impecáveis da Itaú Seguros e tantas outras coisas incríveis. DM9 era uma referência. Um sonho. Era a agencia dos Mamíferos. Da Pizza com Guaraná. Era a casa do grande mestre Nizan. Que pra mim era como um Quincy Jones da propaganda. E eu naquela ambição pueril queria ser um Michael Jackson. Mas os Michael Jacksons foram outros. Marcelo Serpa, Alexandre Gama, Tomás Lorente, Carlos Domingos, Sérgio Valente, Erh Ray, Sérgio Gordilho e tantas outras feras. Fui realizar meu sonho de trabalhar com o Nizan tempos depois na África, mas a DM9 ficou guardada aqui como uma doce lembrança. Hoje soube que ela não existirá mais. Talvez não existirá como nome, como razão social ou como grife. Mas ela continuará existindo firme e forte no coração de varias gerações de publicitários. Porque foi mais que agência. Foi semente.

Publicidade

Compartilhe