Leo Burnett cria camisa camuflada contra violência no futebol

Buscar

Comunicação

Publicidade

Leo Burnett cria camisa camuflada contra violência no futebol

Torcedor do Bahia pode mudar uniforme com um botão ou via GPS programado

Renato Rogenski
29 de abril de 2019 - 16h12

Crédito: frame da ação criada pela Leo Burnett

O departamento de marketing dos clubes e as agências de propaganda têm utilizado com maior frequência o futebol como catalisador de mensagens sociais nos últimos anos. Tais abordagens incluem problemas de dentro ou de fora do esporte. Com a intenção de promover a luta contra a violência nos estádios, por exemplo, a Leo Burnett Tailor Made acaba de desenvolver, em parceria com o Esporte Clube Bahia, a “Camisa Camuflada”.

Por meio da tecnologia Chromosonic, criada pela empresa húngara Ejtech, agência e clube desenvolveram uma camisa do Bahia que fica neutra quando necessário, para evitar a violência de torcedores de clubes rivais. Ativada por um botão ou via GPS programado, em menos de um minuto a camisa é capaz de se transformar. O material foi lançado na última sexta-feira, 26, com um vídeo nos canais digitais do Bahia.

O uniforme também foi exposto no Museu do Futebol no último domingo, 28. “Para um problema dessa natureza, que transforma torcedores em vítimas fatais, uma campanha tradicional seria pouco. Por isso, criamos essa camisa tecnológica como forma de chamar atenção, mas por um outro ângulo. Queremos que ela seja a catalizadora de uma discussão mais ampla que é o absurdo que vem acontecendo no nosso futebol”, explica Wilson Mateos, VP de criação da Leo Burnett Tailor Made. A camisa ficará exposta na loja oficial do Bahia.

Não é a primeira vez que a Leo Burnett utiliza o futebol como pano de fundo para causas sociais. Em 2012, a agência desenvolveu uma ação para o Hemocentro da Bahia, em parceria com o Vitória. O time, reconhecido pelo uso das cores preta e vermelha, passou a jogar com camisas alvinegras. O vermelho voltava ao uniforme do clube de forma gradual, conforme o aumento no nível de doação de sangue ao instituto.

Em 2015, também em parceria com o Vitória, a agência criou a ação “Doação de escudo” para a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos. Nela, os jogadores entraram em campo com uma camisa especial, que exibia uma aplicação em velcro do escudo, símbolo do time. Durante as substituições, o jogador que saía passava o seu escudo para o que estava entrando, em uma referência à doação de órgãos.

Publicidade

Compartilhe