Com Grupo Globo como sócio, Enjoei quer ampliar público

Buscar

Marketing

Publicidade

Com Grupo Globo como sócio, Enjoei quer ampliar público

Brechó online irá contratar agência e diretor de comunicação para fazer marketing off-line

Thaís Monteiro
29 de janeiro de 2019 - 11h31

Inspirado em empresas como iFood e OLX, nativas digitais que cresceram em parte por conta da exposição publicitária, o brechó online Enjoei, criado em 2009 a partir de um blog do casal Ana Luiza McLaren e Tiê Lima (foto), almeja chegar a novos públicos e crescer investindo em anúncios fora da internet. Firmado um contrato de sociedade com o Grupo Globo no final do ano passado, a empresa decidiu destinar parte do investimento feito pela empresa de mídia (R$ 22 milhões) em verba publicitária para contratar uma agência e um diretor de comunicação que levará o recado da marca para TV, revista, rádios e jornais.

 

Ana Luiza McLaren e Tiê Lima deixaram cargos em empresas de tecnologia para apostar no blog-brechó ao receber R$ 300 mil de um investidor-anjo  (Crédito: Divulgação)

“Sempre vimos empresas de internet que mudaram efetivamente de patamar quando investiram em TV e começamos a estudar esses cases. Fomos em agências para entender como isso funcionava, o quanto era preciso em termos de investimento. Aí bem nesse momento o Grupo Globo entrou com a proposta de sociedade”, conta Ana.

Além da Globo, os principais investidores da empresa foram o fundo brasileiro Monashees e o norte-americano
Bessemer Venture Partners, que somam mais de R$ 47 milhões de investimento no Enjoei. Também no ano passado, a plataforma recebeu investimentos da Dynamo. Em 2018, o Enjoei faturou R$ 200 milhões e, atualmente, conta com 150 funcionários e um time de TI remoto e 7,5 milhões de usuários cadastrados.

A intenção da cofundadora é que o Enjoei proponha campanhas que se alinhem com o conteúdo do Grupo Globo, como foi o caso do Desengaveta, programa do GNT que tem patrocínio do Enjoei em que Fernanda Paes Leme busca no armário de celebridades o que pode ser desapegado. As peças são vendidas no site do Enjoei e todo o dinheiro é revertido para o INCAvoluntário. O programa está indo para a quarta temporada. “Esse foi um case super bem-sucedido. Quero trabalhar esse tipo de conteúdo. Vai ser bem mais interessante trabalhar o conceito do Enjoei do que veicular somente no break”, avalia a cofundadora da plataforma.

Ana Luiza estima que a primeira campanha do Enjoei depois deste investimento será veiculada no final do segundo trimestre. Em setembro de 2016, a empresa já exibiu uma campanha na TV criada pela AG2 Nurun com o conceito “Usou até enjoar, deixe outra pessoa amar”. A campanha foi gravada na vertical, imitando a tela de um celular.

**Crédito da imagem no topo: Prudence Earl/Unsplash

Publicidade

Compartilhe