Ação do Chevrolet Tracker debate trollerantes

Buscar

Marketing

Publicidade

Ação do Chevrolet Tracker debate trollerantes

Campanha inspirada na polarização de opiniões nas redes sociais mostra pessoas que xingam e usam discurso de ódio nas redes, mas que não fazem isso na vida cotidiana

Fernando Murad
25 de fevereiro de 2019 - 6h05

Comercial mostra comportamentos diferentes das pessoas na internet e na vida real (crédito: reprodução)

Os trollerantes são os personagens de destaque da nova campanha do modelo Tracker, da Chevrolet, que propõe um debate sobre a polarização de opiniões nas redes sociais. Os trollerantes, segundo a montadora, xingam, trollam e se utilizam do discurso de ódio na internet, mas, ao vivo, são politicamente corretos. A ação compara os trollerantes e as ruas da cidade, imprevisíveis cada um à sua maneira. A campanha é assinada pela Commonwealth // McCann do Brasil, divisão da WMcCann responsável pelo atendimento da marca, e pela Commonwealth // McCann da Argentina, divisão da McCann Buenos Aires.

Campanha destaca o modelo Tracker (crédito: divulgação)

A campanha, segundo Hermann Mahnke, diretor de marketing da GM na América do Sul, nasceu de uma escuta das redes sociais. “Em mercados como Estados Unidos e Argentina a polarização extrema já vem de longa data. No Brasil, tem acontecido mais recentemente. As pessoas eram muito mais tolerantes e menos intolerantes. Concluímos que as pessoas vivem cada vez mais em suas bolhas e tendem a ter um filtro muito grande para opiniões diversas. Então, quando se deparam com qualquer conceito diferente da crença delas e dos amigos, são geralmente muito agressivas. Enxergamos nisso um insight relevante e resolvemos elaborar a campanha”, explica.

No domingo, 24, entrou no ar um comercial para TV (veja abaixo). A produção destaca situações que demonstram como as pessoas são tolerantes na rua, mas intolerantes na internet. Esta atitude nas redes é simbolizada por pop-ups de posts, com os comentários que a pessoa faria nas redes sociais. Um exemplo é a cena de um homem e uma mulher prestes a entrar num elevador de um prédio comercial. O homem faz um gesto para deixá-la entrar primeiro, mas ela devolve o gesto. O homem então sorri e entra no elevador, e o post/pensamento em cima da cabeça dele diz “Feminista não gosta de gentileza?”.

A produção mostra outros exemplos de situações dos trollerantes e ressalta que as cidades também são imprevisíveis, apresentando o Tracker como um carro urbano que se preocupa com o convívio entre as pessoas da cidade e que, com a discussão, pretende trazer soluções para melhorar o relacionamento entre elas, nas ruas e nas redes. O filme encerra com a assinatura “Chevrolet Tracker. Que nada te impeça de retomar a cidade”.

A ação começou uma semana antes, no digital, com o “Tracker Talks”, live no Facebook e Twitter. Marcos Mion, Marina Person, Negra Li e Fred Elboni, sob a mediação de Leandro Karnal, debateram as características dos trollerantes. As conversas e discussões da live serão compartilhadas, em pílulas, no WhatsApp, em canais dos próprios influenciadores e nos canais proprietários da marca. Outras peças para o digital buscarão fomentar o debate.

*Crédito da imagem do alto: divulgação

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Marcos Mion

  • Hermann Mahnke

  • Negra Li

  • Fred Elboni

  • Leandro Karnal

  • Marina Person

  • WMcCann

  • McCann Buenos Aires

  • GM

  • Commonwealth // McCann do Brasil

  • Commonwealth // McCann da Argentina

  • Chevrolet Tracker

  • Tracker Talks