Com lojas e na TV aberta, NBA aumenta presença no Brasil

Buscar

Marketing

Publicidade

Com lojas e na TV aberta, NBA aumenta presença no Brasil

Liga norte-americana de basquete inaugura mais duas lojas no País e a temporada completa voltará a ser exibida na Band

Roseani Rocha
15 de outubro de 2019 - 15h14

A liga de basquete americano segue ampliando sua presença no mercado brasileiro. Nesta 3ª-feira, 15, anuncia que duas novas lojas se juntarão às cinco já existentes nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Mogi das Cruzes, Ribeirão Preto e Campinas. Serão inauguradas uma NBA Store de 100 metros quadrados no Plaza Shopping, em Niterói (RJ) e outra de 145 metros quadrados no Shopping ABC, em Santo André (SP).

Assim, o Brasil já é o maior mercado de varejo físico da liga fora dos EUA. A instituição ainda realiza vendas de seus mais de 1.600 produtos oficiais (camisas, bolas, bonés, tênis, meias, linhas feminina e infantil, etc.) no e-commerce LojaNBA.com e NBA Store Truck (primeira loja do tipo no mundo). Além da expansão no varejo, a NBA também está comemorando dados recentemente divulgados pelo Ibope Repucom segundo os quais a base de fãs do basquete americano no Brasil cresceu 40%.

Em 2017, eram 21 milhões de fãs declarados da liga. Hoje, são 29 milhões. Isso também se reflete na audiência, com crescimento de 41% na ESPN durante transmissões da temporada 2018-2019 e de 20% nas finais deste ano, em relação ao ano passado. Ao todo, mais de 25 milhões de pessoas assistindo às Finais 2019 pela TV. Já o programa NBA Basketball School, aberto em 2019, com a estimativa de fechar o primeiro ano com 20 licenças, chegará a 70 escolas em 35 cidades, de 16 estados em quatro regiões. Em 2020, espera-se ultrapassar a marca das 100 unidades e chegar à região Norte.

Recentemente, a Vivo também anunciou novos benefícios exclusivos aos clientes que assinarem o Vivo NBA League Pass. Aqueles que assinarem o serviço até 31/10 terão um mês grátis para assistir aos jogos (pré-temporada e temporada, que começa dia 22 de outubro, num total de 1.200 jogos e eventos) e outros conteúdos oferecidos (como NBA TV, canal 24h de notícias sobre a NBA, em inglês; bastidores dos jogos, melhores momentos, jogadas em ‘super câmera lenta’, comentários de influenciadores e destaques das atuações dos jogadores brasileiros; entrevistas exclusivas, jogos clássicos e documentários da liga).

Segundo a Vivo, o valor mensal de R$ 19,99 da assinatura do Vivo NBA League Pass representa desconto superior a 50%, em relação a opções semelhantes disponíveis no mercado. E ressalta o Mobile View como diferencial: uma câmera exclusiva para quem assiste aos jogos pelo app em dispositivos móveis e exibe as jogadas em closes mais fechados, aproximando o espectador da jogada.

Na grade da TV aberta

Também nesta terça-feira, 15, a Band e a NBA anunciaram acordo em que a emissora, após 20 anos, voltará a exibir uma temporada completa do esporte. Serão exibidas duas partidas ao vivo por semana (às quintas-feiras e domingos) e as Finais 2020.

O primeiro jogo a ser transmitido será entre Los Angeles Clippers e Golde State Warriors, na quinta-feira, 24 de outubro. No total, serão exibidas 50 partidas. “Ter um veículo com o alcance e a força da Band, distribuindo os nossos jogos, conteúdos e tudo o que acontece na liga, é um passo importante para que a NBA esteja ainda mais perto dos nossos fãs no país”, afirmou, e, comunicado, Rodrigo Vicentini, head da NBA no Brasil.

Já José Emílio Ambrósio, diretor de Esportes da Band, reafirmou a vocação da emissora a “conteúdos premium” e, nesse sentido, a NBA era um objeto de desejo. Esse desejo foi aguçado recentemente, quando a emissora exibiu em junho as Finais da temporada 2019, entre Toronto Raptor e Golden States Warriors e registrou audiência de 25 milhões de pessoas, segundo dados do Ibope/ Repucom.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Rodrigo Vicentini

  • José Emílio Ambrósio

  • vivo

  • Band

  • NBA

  • NBA Store

  • Vivo NBA League Pass

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”