Mercado Pago usa realities e entretenimento para falar de finanças

Buscar
Publicidade

Marketing

Mercado Pago usa realities e entretenimento para falar de finanças

Empresa, que patrocina The Masked Singer Brasil, vê na abordagem simplificada de temas como investimentos e criptomoedas a forma mais direta de engajar o público

Bárbara Sacchitiello
16 de fevereiro de 2022 - 13h14

Eduardo Sterblitch, jurado do The Masked Singer Brasil, aparece usando o app da fintech em cena do reality (Crédito: Reprodução/GShow)

O tema da educação financeira ainda está distante de boa parte da população brasileira. Embora todos tenham que, de alguma forma, fazem operações que envolvam dinheiro praticamente todos os dias, o conhecimento acerca das melhores formas de cuidar das reservas, investir e gerir a carteira de forma mais inteligente ainda é restrito.

Uma pesquisa realizada pelo Mercado Pago no ano passado em parceria com a consultoria Trendsity mostrou que nove em cada dez pessoas no País carecem de informação financeira. Por isso, a empresa viu como desafio tentar levar o tema para o cotidiano das pessoas de forma mais simples. E, para cumprir essa proposta, a presença no universo do entretenimento se mostrou uma alternativa interessante.

“Saindo dos formatos tradicionais, encontramos a possibilidade de transmitir nossa mensagem em conteúdos eu geram engajamento com o público e integramos nossa conversa aos principais momentos de consumo de conteúdo”, explica Iuri Maia, head de branding do Mercado Pago.

Iuri Maia, head de branding do Mercado Pago (Crédito: Divulgação)

Um dos exemplos desse experimento de formatos de comunicação fora dos tradicionais é a participação da empresa no reality The Masked Singer Brasil. Pelo segundo ano consecutivo, a marca patrocina o programa da Globo em uma estratégia baseada em três pilares, definidos pela companhia: consistência, contexto e alcance.

Segundo Maia, desde o ano passado a empresa tem se apoiado em uma fórmula que alie informações de educação financeira a uma linguagem popular, para engajar mais pessoas. “No caso do The Masked Singer, criamos esquetes com os jurados e com os apresentadores, levando aulas sobre nossas soluções, discutindo as dores reais que todos têm na relação com dinheiro”, conta o head, explicando que o objetivo das inserções da marca na atração é convidar as pessoas para continuar a conversa na segunda tela.

Além do patrocínio ao reality, a empresa também vai oferecer ao vencedor do The Masked Singer Brasil um prêmio equivalente a R$ 100 mil em bitcoins. Segundo o head, a ideia da premiação foi uma forma de levar a conversa das critptomoedas também para o cotidiano das pessoas.

Fora da Globo, o Mercado Pago também levou o tema da educação financeira para a Record TV no ano passado ao patrocinar o reality Gincana da Grana, feito pela Endemol em parceria com a agência GUT.

A construção da comunicação com o público passa, em primeiro lugar, pela tradução do economês, na visão da empresa. Maia diz que é preciso falar de forma simples e clara sobre cada solução resolve uma dor do dia a dia dos usuários, como fazer melhor uso do dinheiro, planejamento e orçamento. A estratégia também passa pela utilização de influenciadores para reforçar o plano de comunicação, como Nath Finanças, embaixadora do Mercado Pago.

Para os próximos meses, o Mercado Pago seguirá na estratégia de misturar entretenimento à educação financeira para mostrar seus serviços ao público. “O que posso adiantar é que nosso próximo desafio será levar educação financeira por meio da música e da cultura, sempre tendo em mente a criação de conexões para encurtar o caminho para a democratização do dinheiro”, pontua Iuri Maia.

Publicidade

Compartilhe

Veja também