Casa Claudia disseca ambientes domésticos

Buscar
Publicidade

Mídia

Casa Claudia disseca ambientes domésticos

Revista publica especial sobre organizações dos lares com base em estudo da Y&R

Bárbara Sacchitiello
22 de novembro de 2016 - 8h00

CasaClaudia-Tendencias

Especial da publicação circula com a edição de novembro da Casa Claudia (Crédito: Divulgação)

22As diversas transformações sociais, tecnológicas, econômicas e culturais que o Brasil e o mundo vêm vivenciando nos últimos anos alterou também a maneira como as pessoas se relacionam com seus próprios lares.

A fim de compreender qual é o papel atual do ambiente doméstico para os brasileiros, a Editora Abril uniu-se à Young & Rubican para a elaboração de uma pesquisa qualitativa que mapeasse como as pessoas estão montando e utilizando seus lares. “A casa sempre foi o reflexo da sociedade e já vinhamos, há algum tempo, tentando compreender como que as diversas mudanças e novos fenômenos da vida cotidiana impactam no ambiente doméstico. Esse estudo nasceu dentro da Y&R e, como estávamos a procura de parceiros para ampliar nosso estudo, acabamos trabalhando em conjunto com a Abril, que é uma grande influenciadora no segmento Casa”, conta Sumara Osorio, diretora de planejamento da Y&R.

Em três meses de pesquisa, a Y&R ouviu consumidores, consultou dados de marcas do setor e utilizou o próprio conteúdo editorial da Abril para mapear quatro novos estilos de moradia: perfil Hotel, perfil Galeria, perfil Clube e Perfil Empresa. “Mostrar como as pessoas estão repensando seus lares e as funções que a casa vêm ganhando, como a de centro de entretenimento e também o próprio ambiente empresarial, faz parte de uma abordagem que a Casa Claudia adotou há meses, de abrir mais espaço para assuntos comportamentais e explorem o contexto de moradia para a sociedade”, explica Eliana Sanches, diretora de redação da Casa Claudia.

A edição especial da publicação, que circula junto com a revista, deverá gerar outros subprodutos. “A Y&R trabalha, agora, na elaboração de uma nova pesquisa quantitativa sobre o tema e isso deverá pautar outros projetos”, antecipa Sumara.

Publicidade

Compartilhe

Veja também