YouTube altera algoritmos de privacidade para crianças

Buscar

Mídia

Publicidade

YouTube altera algoritmos de privacidade para crianças

Após pagar multa de US$170 milhões e fazer acordo com o órgão regulador comercial dos Estados Unidos, a plataforma lança oficialmente alterações no conteúdo infantil


6 de janeiro de 2020 - 17h25

(Crédito: divulgação)

Em setembro, após pagar uma multa de US$ 170 milhões à Federal Trade Commission (FTC), órgão regulador comercial dos Estados Unidos, o Google concordou em fazer alterações na privacidade de sua plataforma de vídeos,  o YouTube, depois que reguladores alegaram que ela, ilegalmente, coletou informações pessoais de crianças e as usou para ganhar dinheiro por meio de anúncios.

Dessa forma, YouTube anunciou que essas alterações começam a entrar em vigor a partir desta segunda-feira, 6. Agora, a plataforma limitará a coleta e o uso de dados das pessoas que assistem os conteúdos infantis, independentemente de sua idade. Além disso, o YouTube anunciou que desativou alguns recursos dos vídeos infantis que utilizam informações pessoais como os comentários, bate-papo em lives e a possibilidade de salvar vídeos em uma lista de reprodução.

As mudanças também abrangem os produtores de conteúdo do YouTube, pois em setembro a companhia comentou que exigiria que todos os criadores de conteúdo de sua plataforma sinalizassem que seus vídeos foram feitos para crianças ou não. Já, em novembro o YouTube lançou uma configuração para ajudar seus criadores a sinalizar quando o conteúdo de seus vídeos fossem infantil para limitar a coleta de dados nesses vídeos. A plataforma ainda afirmou que está usando inteligência artificial para auxiliar a identificar conteúdo infantil.

O YouTube também mudou seus algoritmos em relação aos anúncios. A partir desta segunda-feira, a plataforma não exibirá mais anúncios em vídeos infantis direcionados aos espectadores com base em sua navegação na internet ou em outras atividades realizadas no ambiente online, ela exibirá anúncios baseados no contexto do que as pessoas estão vendo. Dessa forma, o YouTube disse que se alguém assistir a um vídeo feito para crianças em sua plataforma agora têm maior probabilidade dessa pessoa ver recomendações para outros vídeos infantis.

*Com informações do The New York Times

**Crédito da imagem no topo: Christian Wiediger/Unsplash

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • youtube

  • Google

  • ftc

  • privacidade

  • Crianças

  • anúncios

  • lei

  • Proteção de dados

  • produtores de conteúdo

  • informações pessoais

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”