TV aberta enfrenta ausência de programação infantil

Buscar
Publicidade

Mídia

TV aberta enfrenta ausência de programação infantil

Com o fim do Bom Dia & Cia, no SBT, TV deixa de ter faixa diária voltada às crianças; TV paga e digital passam a concentrar conteúdos do gênero

Valeria Contado
18 de abril de 2022 - 6h01

Silvia Abravanel, filha de Silvio Santos, foi a última apresentadora do Bom dia e Cia (Crédito: Divulgação)

Há alguns dias, o SBT anunciou que, depois de 29 anos, deixaria de exibir em sua grade o programa infantil Bom Dia e Cia. Apresentado nos últimos anos por Silvia Abravanel, filha de Silvio Santos, o último episódio da atração foi ao ar em 1º de abril. Destaque nas manhãs da emissora, o programa revelou nomes como Maisa, Priscila Alcântara e Jackeline Petcovic.

O fim do Bom Dia & Cia trouxe à tona um assunto que, de vez em quando, volta a ser debatido entre os espectadores e os profissionais de mídia: a ausência de programação infantil na televisão aberta. Bom Dia & Cia era a última atração diária fixa presente entre as grandes emissoras abertas.

O SBT explicou que o acesso fácil do público infantil à internet fez com que a audiência do programa caísse significativamente nos últimos anos. Além disso, como era exibido em espaço local, as limitações de interação com as brincadeiras que premiavam as crianças e vendas de espaços publicitários nos intervalos não eram possíveis em outros estados.

Renovação do infantil e impactos comerciais

Em relação ao impacto comercial, o diretor negócios e marketing do SBT, Fred Müller, explica que um dos maiores desafios da programação infantil é encontrar formas de ajustar o conteúdo para atender a demanda dos clientes e, ao mesmo tempo, se alinhar com as determinações do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar). O executivo diz que os formatos oferecidos pela emissora são customizados. “Os formatos são desenvolvidos junto aos nossos anunciantes, que respeitam o seu público, bem como as legislações acerca da publicidade no ambiente infantil”, reforça.

O Bom Dia e Cia, no entanto, não ficou marcado apenas pelos desenhos ou pacotes comerciais. O SBT entende que o programa ajudou a conquistar uma audiência leal ao longo dos seus anos de existência e, por isso, se prepara para uma nova fase de seu conteúdo infantil.

O diretor de planejamento de programação do SBT, Murilo Fraga, explica que, atualmente, o canal possui programações voltadas ao núcleo de dramaturgia, com os remakes de novelas clássicas e voltadas exclusivamente para o público infantil, como é o caso de Carinha de Anjo e Poliana Moça.

Aos finais de semana, a faixa Sábado Animado contará com um pacote de novos desenhos, além de uma repaginação. “Nossa ideia é continuar com o infantil como parte de uma grade diversificada que também conta com novelas, entretenimento, jornalismo, séries, filmes e esportes”, diz Fraga.

No ambiente digital, o SBT está investindo na TV Zyn, voltada para a geração Z, com desenhos, e webséries. Presente também em redes como Instagram, Facebook e principalmente, no Tiktok, foi no Youtube que o canal se consolidou.

De acordo com dados divulgados pela própria emissora, e apurados por meio de seu Google Analytics, em março deste ano a TV Zyn alcançou 107 milhões de visualizações. “Há dois anos o SBT também investe na TV Zyn. Cada conteúdo é pensado de maneira que respeite, dialogue com as características de cada rede social e ofereça uma experiência completa para esse público”, comenta Fred Müller.

Pós-TV Globinho

Em 2015, a Globo passou por uma movimentação parecida à atual do SBT. A TV Globinho, que trazia desenhos como Três Espiãs Demais e Bob Esponja, teve seu último episódio exibido no dia 1 de agosto, depois de 15 anos no ar. A atração deu lugar ao programa Encontro, conduzido pela jornalista Fátima Bernardes.

A emissora, que se pronunciou por meio de sua equipe de comunicação, explica que o seu conteúdo infantil passou a ser direcionado para outros canais. Diferente do SBT, a Globo aposta na TV por assinatura, com os canais Gloob e  Gloobinho, e plataformas voltadas para o público infantil, como o Globoplay e o Giga Gloob.

“A programação da TV Globo é para toda a família, inclusive para as crianças. Na TV aberta, a Globo oferece conteúdo multigeracional, com adequação para crianças e jovens. As maiores audiências entre o público infantil estão nas novelas, futebol, filmes e realities, como The Masked Singer e The Voice”, disse a emissora, em comunicado.

Publicidade

Compartilhe

Veja também