Grupo RBS mira crescimento e passa por reestruturação

Buscar
Publicidade

Mídia

Grupo RBS mira crescimento e passa por reestruturação

Modelo de governança permite entrada de investidores na companhia, mas mantém controle editorial com a família fundadora


20 de junho de 2022 - 18h03

O Grupo RBS, conglomerado de mídia dono de veículos como o jornal Zero Hora, Rádio Gaúcha e maior filiada da TV Globo, anunciou nesta segunda-feira, 20, o início de reorganização societária. O objetivo da mudança é permitir a entrada de uma holding de investidores na companhia e, consequentemente, gerar crescimento por meio de novos negócios e formas de monetização. O projeto está sujeito à aprovação de órgãos públicos, como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

 

Campanha institucional do grupo, no fim do ano passado, falou sobre superação e os impactos da Covid-19 (Crédito: Reprodução)

A mudança de governança se dá por meio da TKPar holding de participações, que foi criada para materializar os investimentos na RBS. A holding, por sua vez, é dividida entre Fernando Tornaim, sócio-fundador e diretor geral da Tornak Holding, e a Maromar Investimentos, empresa liderada por Maurício Sirotsky Neto (neto do fundador da RBS) e outros empresários de setores como imobiliário, agronegócio e finanças.

Enquanto a Maromar Investimentos representa a família Sirotsky e a entrada de outros executivos, por meio da TKPar, Fernando Tornaim soma ao grupo seu conhecimento em criar negócios baseados na experiência. Em 2000, o profissional criou a Kzuka, plataforma de comunicação para o público escolar. A iniciativa foi comprada pela RBS e Fernando permaneceu no Grupo por sete anos. Em 2012, saiu do conglomerado para criar a Tornak Holding que, hoje, soma participação em mais de 20 negócios. A Tornak foi, por exemplo, a parceira da Globo na criação do GExperience, espaço temático com experiências relacionadas ao conteúdo da Globo, no shopping Market Place, em São Paulo.

Com a mudança, a RBS passa a ter um Conselho de Representantes que substitui o Conselho de Acionistas. Gilberto Meiches, que já ocupava a presidência do Conselho de Acionistas mantém a posição no novo órgão e terá, como vice-presidente, Fernando Tornaim. Claudio Toigo permanecerá como presidente-executivo da RBS.

Além de conselheiro do Grupo, Nelson Sirotsky, ex-presidente do Grupo RBS e do Conselho de Administração da companhia, assumirá a função de publisher. A ideia é que o executivo seja o responsável pela linha editorial do conglomerado de mídia. No segundo semestre, criará um Conselho Editorial da RBS, composto por profissionais da empresa e convidados externos.

Família e história

O Grupo RBS foi criado em 1957 por Maurício Sirotsky Sobrinho. O empresário faleceu em 1986 e foi sucedido no comando dos negócios por seu irmão mais novo Jayme Sirotsky. Em 1991, o comando passou para o filho de Maurício – Nelson Pacheco Sirotsky, que agora assume a posição de Publisher e guardião da linha editorial. Em 2016, Nelson passou a cadeira para o sobrinho Eduardo Sirotsky Melzer, que ficou no cargo até 2020.

Em julho de 2021, junto com o anúncio de uma nova estrutura de Comitê Executivo, a RBS divulgou um plano de investimentos com R$ 70 milhões destinados à aceleração do processo de transformação digital da companhia, com a modernização dos parques tecnológicos de rádio e televisão, além de desenvolvimento de produtos digitais.

Publicidade

Compartilhe

Veja também