Sony desagrada usuários pela falta de informação

Buscar

Sony desagrada usuários pela falta de informação

Buscar
Publicidade

Mídia

Sony desagrada usuários pela falta de informação

Os 77 milhões de jogadores da PlayStation Network estão há oito dias sem acesso aos games online


27 de abril de 2011 - 12h24

A Sony, responsável pelos games online da PlayStation Network (PSN), admitiu nesta terça-feira, 26, que soube da invasão da rede por hackers no dia 19. No entanto, admitiu os problemas apenas sete dias depois, o que tem gerado reclamações dos usuários em todo o mundo. O serviço está fora do ar desde então.

O ataque consiste no roubo de nomes, endereços e detalhes de cartões de crédito de 77 milhões de contas de usuários da PSN e é um dos maiores já registrados até então na internet. Suspensa desde o dia 19, a PSN gera receitas calculadas em US$ 500 milhões para a Sony. A demora dos executivos da empresa em admitir o problema e divulgar as informações aos usuários pode fazer com que o prejuízo se amplie além do roubo virtual, com a migração de consumidores para concorrentes como Wii (Nintendo) ou Xbox (Microsoft).

No blog oficial da PSN, um porta-voz da empresa contestou as reclamações dos usuários e postou a seguinte informação: “Há uma diferença entre o tempo em que identificamos a invasão e o tempo em que demos conta de que os dados dos consumidores estavam comprometidos. Soubemos da invasão no dia 19 de abril e imediatamente apagamos o serviço. Quando trouxemos especialistas de fora para nos ajudar a entender o que havia acontecido e começarmos as investigações, foram necessários alguns dias de análise e ontem (25) nossos especialistas de deram conta da brecha (que possibilitou o ataque dos hackers) e apenas hoje (26) compartilhamos essa informação com os usuários”.

O posicionamento anterior da Sony relatava o problema com a PSN e informava que a empresa enviaria uma mensagem via e-mail a todos os usuários registrados sobre o comprometimento dos dados pessoais em função do ataque. A empresa comunicava, ainda, que as atividades maliciosas impediam o pleno funcionamento da rede online de games. “Sabemos o caminho para restabelecer o sistema e esperamos colocar alguns serviços à disposição dos usuários em menos de uma semana”, afirmava a nota postada no blog ontem, 26. Em função dessa nova, os protestos se intensificaram e a Sony foi acusada pelos usuários de ter sonegado informações.

Ainda, nessa mesma postagem, a Sony afirmou que tomou as seguintes providências quando constatou, entre 17 e 19 de abril, que as informações das contas de usuários de PSN estavam comprometidas:

– Apagou temporariamente o serviço da PSN (que permanece fora do ar desde então)
 

– Tomou esforços junto a uma firma reconhecida de segurança para conduzir uma investigação completa sobre o assunto
 

– Adotou ações para melhor a segurança e reconstruir o sistema para oferecer proteção melhor das informações pessoais dos usuários
 

wraps

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • STF arquiva inquérito contra big techs por manifestação contra PL das fake news

    STF arquiva inquérito contra big techs por manifestação contra PL das fake news

    Google e Telegram foram acusadas de suposta campanha abusiva contra o PL das Fake News ao se manifestarem contra a proposta em suas plataformas

  • Em parceria com Smart Fit, b.drops leva OOH a academias

    Em parceria com Smart Fit, b.drops leva OOH a academias

    Empresa deve instalar, até outubro, 5 mil telas em unidades da rede, inaugurando a vertical Health