Cade abre investigação para apurar uso de dados da Meta

Buscar

Cade abre investigação para apurar uso de dados da Meta

Buscar
Publicidade

Mídia

Cade abre investigação para apurar uso de dados da Meta

Conselho Administrativo de Defesa Econômica pretende avaliar a forma como a big tech usava os dados de usuários brasileiros para treinar suas ferramentas de inteligência artificial


4 de julho de 2024 - 10h58

Cade Meta

(Crédito: Adobe Stock)

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu abrir uma investigação para avaliar o uso de dados de usuários que a Meta vinha fazendo para treinar suas ferramentas de inteligência artificial.

Nessa terça-feira, 2, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) já havia determinado a suspensão da vigência da nova política de privacidade da companhia, implementada em 26 de junho.

Nela, a plataforma proprietária de Facebook, Instagram e Messenger autorizava o uso de dados inseridos nessas plataformas para treinar seus sistemas de inteligência artificial.

De acordo com reportagem do Valor Econômico, esse movimento do Cade é um procedimento preparatório de inquérito administrativo, em que seria apurado se há, de fato, elementos que justificam a continuidade da investigação.

O Cade tomou a decisão após ter recebido uma representação do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), que questionava o fato de a Meta não ter deixado claro aos usuários a respeito da utilização de seus dados para eventuais treinamentos de ferramentas de IA.

Ainda segundo a reportagem do Valor Econômico, o Cade solicita esclarecimentos à Meta a respeito da política de privacidade. Caso a big tech não envie os dados ou documentos solicitados, a companhia fica sujeita a uma multa diária no valor de R$ 5 mil.

Meta classifica ações como um retrocesso

Na terça-feira, 2, após a determinação de suspensão da política de privacidade feita pela ANPD, a Meta divulgou comunicado declarando estar desapontada com a decisão.

Até o momento, a big tech não comentou a respeito da investigação do Cade. Leia, abaixo, a íntegra do comunicado da Meta:

“Estamos desapontados com a decisão da ANPD. Treinamento de IA não é algo único dos nossos serviços, e somos mais transparentes do que muitos participantes nessa indústria que têm usado conteúdos públicos para treinar seus modelos e produtos. Nossa abordagem cumpre com as leis de privacidade e regulações no Brasil, e continuaremos a trabalhar com a ANPD para endereçar suas dúvidas. Isso é um retrocesso para a inovação e a competividade no desenvolvimento de IA, e atrasa a chegada de benefícios da IA para as pessoas no Brasil”.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Netflix conquista 8 milhões de novos assinantes no segundo trimestre

    Netflix conquista 8 milhões de novos assinantes no segundo trimestre

    Plataforma de streaming superou as projeções, impulsionada pela opção de assinatura com anúncios publicitários

  • Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Record aposta em Marcia Fu para abordar Olimpíada no digital

    Canal da Fu! abordará assuntos diversos, tendo como início os Olímpicos de Paris, para aproveitar a experiência da ex-atleta