Câmara dos EUA aprova lei que pode banir TikTok do país

Buscar

Câmara dos EUA aprova lei que pode banir TikTok do país

Buscar
Publicidade

Mídia

Câmara dos EUA aprova lei que pode banir TikTok do país

Medida obriga a ByteDance a vender sua participação na plataforma em um período de um ano; políticos alegam que o TikTok compartilha dados de usuários americanos com o governo chinês


22 de abril de 2024 - 10h58

A trajetória do TikTok nos Estados Unidos entrou em mais um capítulo no último final de semana.

A Câmara dos Deputados aprovou uma lei que pode proibir a plataforma no país caso sua detentora chinesa, a ByteDance, não venda a participação na rede social em um período de até um ano.

tiktok eua

(Crédito: Ascannio/Adobestock)

Em março, a Câmara Legisladora já havia votado um projeto de lei semelhante, em que a ByteDance teria cerca de seis meses para comercializar a plataforma. À época, o texto previa a proibição do app nas principais lojas de aplicativos e outros serviços, e foi aprovada por 352 a 35 votos.

Agora, o prazo anterior pode ser prorrogado em 90 dias, com possibilidade da adição de três meses caso a venda esteja em andamento – mas estaria sujeita a uma aprovação presidencial. A lei foi aprovada por 360 a 58 votos e ainda seguirá para o parecer do atual presidente, Joe Biden.

Além disso, a medida está incluída em um pacote que destaca sua urgência e dá ainda mais força aos pedidos dos legisladores norte-americanos. A proposta foi inserida em um projeto de lei que auxilia economicamente a Ucrânia e Israel, países que vêm sofrendo com conflitos.

Segundo veículos internacionais, a junção acelera o processo e é considerada prioridade para a Casa Branca – sobretudo em um cenário de ano eleitoral.

O TikTok se manifestou no perfil TikTokPolicy, no X: “É lamentável que a Câmara dos Representantes esteja usando a cobertura de uma importante assistência externa e humanitária para mais uma vez obstruir uma lei de proibição que atropelaria os direitos de liberdade de expressão de 170 milhões de americanos, devastaria 7 milhões de empresas e fecharia uma plataforma que contribui com 24 bilhões de dólares para a economia dos EUA anualmente”. Veja:

O que diz o TikTok

A movimentação da política estadunidense é uma tentativa de desvencilhar o TikTok de sua propriedade chinesa. Políticos alegam que a plataforma teria compartilhado dados de usuários dos Estados Unidos chinês. Isso se soma, ainda, à preocupação de que a China poderia aplicar seu algoritmo do TikTok para alimentar a propaganda política de seus usuários.

Em março, o CEO do TikTok, Shou Chew, apontou em vídeo que a companhia investe em manter os dados dos usuários protegida de manipulações exteriores. “Essa lei dá mais poder a um punhado de outras empresas de mídia social e também irá tirar bilhões de dólares dos bolsos de creators e pequenos negócios”, disse.

Chew salientou, ainda, que a medida poderia arriscar mais de 300 mil empregos em risco nos Estados Unidos. O executivo afirmou que não parariam de lutar pelos usuários para proteger os usuários dos EUA, incentivando-os a protegerem seus direitos constitucionais.

Nesta nova fase, o TikTok pode contestar a legislação dos EUA na Justiça. Caso isso seja feito, aponta a CNN, a medida poderia ser bloqueada durante o tempo em que o litígio estiver em curso. Caso a liminar seja recusada, a ByteDance teria que cumprir a lei.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Parceria permitirá integração de soluções de IA da OpenAI nos aparelhos da gigante da tecnologia; Apple está prestes a lançar o sistema operacional iOS 18 no iPhone

  • Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Novidade foi apresentada pela plataforma no último dia 14 e visa juntar informações em tempo real