Medição crossmedia da Kantar gera desconforto em TVs e agências

Buscar

Medição crossmedia da Kantar gera desconforto em TVs e agências

Buscar
Publicidade

Mídia

Medição crossmedia da Kantar gera desconforto em TVs e agências

Emissoras e agências argumentam que Kantar integrou dados de TVs e plataformas digitais sem parametrização adequada; Kantar nega tal fato


15 de maio de 2024 - 7h20

Em abril, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), a Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro) e a Associação das Empresas de Comunicação e Publicidade (Abap) publicaram carta ao mercado publicitário.

Nessa carta, repudiavam a “adoção unilateral de qualquer modelo de integração de métricas de audiência do meio TV e das plataformas digitais de consumo de mídia audiovisual, a partir de fontes distintas de dados e sem a devida parametrização”.

Kantar diz que (Crédito: Arthur Nobre)

Kantar diz que Cross Media Planner permite que clientes equiparem universos diferentes e que o cliente tem o poder de decidir como parametrizar esses contextos (Crédito: Arthur Nobre)

Uma semana depois, a Kantar Ibope Media anunciou a saída da CEO Melissa Vogel, que trabalhava há 28 anos na empresa.

Descontentamento com crossmedia da Kantar

Assim, o descontentamento das entidades de rádio, TV e agências de publicidade e a saída da CEO se associaram, já que a Kantar fazia testes de novo sistema que compara a aferição da TV com players de vídeo digital.

Ao Meio & Mensagem, Melissa negou relação entre ambas as notícias e afirma que decidiu sair da empresa para seguir projetos pessoais.

Contexto da carta

O presidente da Abert, Flávio Lara Resende, diz que chegou ao conhecimento da associação que a Kantar preparava o lançamento de um produto — o qual o executivo não nomeou — com a intenção de oferecer visão crossmedia para campanhas publicitárias.

E que essa novidade “demonizava a TV aberta”, na sua opinião.

Assim, isso criaria o descontentamento entre as emissoras, às quais não se ofereceram consultas sobre a ferramenta, apesar de serem clientes da Kantar.

O CEO da Kantar Ibope Media para América Latina, Espanha, Ásia Pacífico e África, Antonio Wanderley, afirma que a empresa tem o produto Cross Media Planner.

E é esse produto que o executivo acredita ser a referência para os rumores em circulação.

De forma que o Cross Media Planner é uma ferramenta que integra dados, como os do YouTube, com os do Painel Nacional de Televisão (PNT), para orientar o planejamento de campanhas publicitárias.

Ainda, a intenção da empresa, diz, é incluir no sistema dados de outros players digitais, além do YouTube.

Ferramenta para insights

Segundo a Kantar, essa solução está disponível desde 2022.

Portanto, foi quando criou comitê com a base de clientes, incluindo canais, agências e anunciantes, para contribuir com insights para o desenvolvimento contínuo do produto.

Porém, a empresa afirma que não planejava o lançamento, tendo em vista que a ferramenta já estava disponível para clientes e em aprimoramento.

“Alguns falam que a Kantar Ibope Media deu conhecimento e discutiu. Não foi exatamente assim”, rebate Resende, da Abert.

E diz: “Desde que se iniciou o processo de discussão, fizemos ressalvas que isso prejudicaria a TV aberta, mas entenderam que deveriam lançar.”

Assim, profissionais de agências e de anunciantes, ouvidos em condição de anonimato, afirmaram que há descontentamento das emissoras em relação à comparação entre os meios TV e Digital feita no produto já disponível.

No entanto, alguns critérios de parametrização não estariam em harmonia.

De fato, o argumento da Kantar é que o Cross Media Planner permite que os clientes equiparem universos diferentes e que tenhm o poder de decidir como parametrizar esses contextos.

“Não vamos fazer o digital se encaixar na TV ou vice-versa. Os usuários fazem escolhas de como parametrizar”, explica Wanderley.

Por fim, a Kantar nega que a saída de Melissa Vogel se relacione à polêmica.

Ao Meio & Mensagem, a ex-CEO afirma que decidiu deixar a empresa por conta própria para ter novas experiências.

E que essa transição teve planejamento dela própria com o CEO regional, Wanderley, a partir do início deste ano.

A ex-CEO ingressará em período sabático, no qual fará cursos e planejará seus próximos passos profissionais.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Parceria permitirá integração de soluções de IA da OpenAI nos aparelhos da gigante da tecnologia; Apple está prestes a lançar o sistema operacional iOS 18 no iPhone

  • Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Novidade foi apresentada pela plataforma no último dia 14 e visa juntar informações em tempo real