Elon Musk diz que Twitter pode pedir falência

Buscar

Elon Musk diz que Twitter pode pedir falência

Buscar
Publicidade

Mídia

Elon Musk diz que Twitter pode pedir falência

O novo CEO conversou com funcionários da empresa pela primeira vez desde que se tornou proprietário


11 de novembro de 2022 - 10h17

*Do Advertising Age com informações da Bloomberg News

Em seu primeiro discurso aos funcionários do Twitter desde que adquiriu a empresa por US$ 44 bilhões, Elon Musk afirmou que a falência da empresa era uma possibilidade, conforme indicou uma pessoa familiarizada com o assunto.

Elon Musk, CEO do Twitter

(Crédito: Kathy Hutchns/Shutterstock)

A declaração da falência no Twitter foi noticiada pelo Information and Platformer.

Yoel Roth e Robin Wheeler, head de segurança e integridade e executiva de vendas do Twitter, respectivamente, teriam renunciado a seus cargos. Ambos os executivos surgiram como parte da nova equipe de liderança de Elon Musk.

Musk demitiu a maior parte da equipe executiva da plataforma quando sua aquisição foi fechada no mês passado. Desde então, Roth havia assumido todos os esforços de confiança e segurança do Twitter, enquanto Wheeler estava à frente da supervisão das relações com anunciantes preocupados com o novo momento.

O Twitter tem uma dívida significativa com a aquisição. Nas últimas semanas, vem sofrendo com a retração de alguns anunciantes que estão receosos com os planos de Musk para moderação de conteúdo.

Musk também disse aos colaboradores que os dias de comida grátis e outras vantagens acabaram nos escritórios do Twitter, disse a fonte anônima.

Ao discutir as finanças e o futuro do Twitter, Musk apontou que a empresa precisa agir com urgência para tornar seu produto de assinatura de US$ 8, o Twitter Blue, algo pelo qual os usuários vão querer pagar devido ao recuo dos anunciantes que impactam a receita.

Em um e-mail enviado na última quarta-feira, 09, o CEO alertou os funcionários sobre “tempos difíceis à frente”, fazendo referência às perspectivas econômicas para a empresa. Além disso, Musk colocou fim ao trabalho remoto dos funcionários – a menos que ele aprovasse pessoalmente.

A saga de Elon Musk

Recentemente, o bilionário demitiu metade da equipe do Twitter, como o ex CEO Parag Agrawal, e introduziu mudanças significativas em suas regras de assinatura. Na quinta-feira, as mudanças resultaram em vários grandes anunciantes, sendo representados por contas com marcas de seleção azuis, indicando verificação.

Na última quinta-feira, 10, os diretores de segurança da informação, de privacidade e de conformidade saíram da empresa. O fato levanta preocupações sobre a capacidade da empresa de manter sua plataforma segura, cumprindo com as regras regulatórias.

Atualmente, o Twitter está vinculado a um decreto de consentimento com a Federal Trade Commission. O órgão regula como a empresa lida com os dados do usuário e pode estar sujeita a multas por violações.

Nos últimos dias, Musk está bastante ativo em seu perfil na rede social, muitas vezes irônico, postando atualizações que podem dar pistas aos usuários sobre o futuro da plataforma.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Anunciantes e Kantar criam novo player de medição de audiência nos EUA

    Chamada de Aquila, plataforma é fruto de coalização entre Associação dos Anunciantes, Kantar, Meta, Amazon e TikTok

  • Pinterest lança ferramentas de IA para criativos e performance

    Pinterest lança ferramentas de IA para criativos e performance

    Recursos estão sob guarda-chuva do Pinterest Ad Labs, novo programa de inovação da plataforma para marcas selecionadas testarem os protótipos