É o fim do Koo: plataforma indiana encerra operações

Buscar

É o fim do Koo: plataforma indiana encerra operações

Buscar
Publicidade

Mídia

É o fim do Koo: plataforma indiana encerra operações

Rede social ganhou notoriedade após Musk adquirir o até então Twitter; fechamento ocorre após fracasso em negociações de aquisição


3 de julho de 2024 - 10h21

O Koo, rede social indiana com interface semelhante à do X, está encerrando suas atividades.

A plataforma será descontinuada após não conseguir fechar um acordo com a DailyHunt, aplicativo também indiano que agrega conteúdo e notícias. A negociação envolvia a aquisição do microblog.

koo

Koo foi fundado na índia a ganhou popularidade efêmera no Brasil (Crédito: Reprodução)

Em postagem no LinkedIn, Aprameya Radhakrishna e Mayank Bidawatka, fundadores do Koo, afirmaram que estavam em conversas com diversas empresas e conglomerados de mídia. Mas, apesar disso, não estavam prontas para “lidar com conteúdo gerado pelo usuário e a natureza selvagem de uma empresa de mídia social”.

“Empresas de mídia social são provavelmente uma das mais difíceis de serem construídas, mesmo com todos os recursos disponíveis que são necessários para ampliar a base de usuários a uma escala significativa antes de pensar em receitas”, disseram.

Ainda que tenha arrecadado US$ 60 milhões, por meio de investidores como Tiger Global e Accel e vencido uma competição de inovação promovida pelo governo da Índia, o Koo vinha tendo dificuldades para ganhar novos usuários – mesmo após sucesso efêmero no Brasil no final de 2022.

Ao todo, o aplicativo reunia 10 milhões de usuários ativos mensais e 2,1 milhões diários.

A plataforma foi vista pelos brasileiros como uma alternativa ao uso do atual X (antigo Twitter), após alertas de que o aplicativo pudesse ser descontinuado por decisões de Elon Musk. Em apenas dois dias, o Koo registrou mais de 1 milhão de downloads. Os fundadores e colaboradores da empresa se manifestaram, interagindo com o público brasileiro e afirmando que estavam trabalhando para trazer o português para a interface.

Koo no Brasil

À época, até mesmo as marcas aproveitaram o buzz da nova rede social para promover ações.

Até então, o Koo era visto como um potencial rival do X. Em março do ano passado, usuários da plataforma de Musk encaravam o fim dos seus selos de verificação após o anúncio de uma nova política de pagamento. Com a notícia, o Koo apresentou o Yellow Tick, gratuito e concedido a personalidades notáveis em todo mundo.

Entre os outros artifícios disponíveis no microblog estavam os “Koopons”, uma espécie de moedas que poderiam ser utilizadas no resgate de ofertas junto a marcas aderentes. O programa contava com nomes como Adidas, Nike, Amazon, Dell, HP, Lenovo, KaBum, Netshoes, Extra.com, ToksTok, MadeiraMadeira, Casa Bahia, Hering e Poly.

Em seu perfil no X, o Koo comunicou o fim a seus usuários. Confira:

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Série de podcasts aborda diferentes ambientes da mídia OOH

    Série de podcasts aborda diferentes ambientes da mídia OOH

    Série Out-of-Home Além das Telas entrevista agências e anunciantes para abordar a criativdade nas ruas, transportes e ambientes internos

  • Vale Tudo: Globo confirma remake em seu aniversário de 60 anos

    Vale Tudo: Globo confirma remake em seu aniversário de 60 anos

    Novela de Gilberto Braga, exibida em 1988, ganhará nova versão em 2025, como parte da celebração das seis décadas da emissora