Summit 2023 – Carreira, relações de poder e renúncia

Buscar
Publicidade

Vídeos

Summit 2023 – Carreira, relações de poder e renúncia

Confira na íntegra painel com Andrea Alvares e Andrea Cruz


26 de junho de 2023 - 9h16

As recentes renúncias das primeiras-ministras da Nova Zelândia e Escócia chamam a atenção para uma atitude marcadamente feminina e que começa a ganhar espaço também no mundo corporativo: mulheres no auge de suas carreiras resolvem abrir mão de suas posições. Essas decisões trazem como pano de fundo a questão da pressão excessiva e seus impactos na saúde mental. O relatório da Deloitte “Women at Work 2022: A Global 
Outlook Report”, que inclui uma pesquisa com 5 mil mulheres em dez países, descobriu que o burnout para a maioria das mulheres atingiu níveis alarmantes. No geral, 53% das mulheres entrevistadas disseram que seus níveis de estresse são maiores do que há um ano, e quase metade se sente esgotada. Além disso, quase metade de todos os participantes classificam sua saúde mental como ruim ou muito ruim, e 30% tiraram folga do trabalho devido a problemas de saúde mental. Neste painel, uma discussão sobre esse cenário e caminhos para que a jornada das mulheres em posições de poder possa agregar elementos mais empáticos e dessa forma, ser mais perene. 
 
PAINELISTAS: 
Andrea Alvares, pensadora independente e fundadora da Camomila 
Andrea Cruz, especialista em gestão de carreiras e CEO da SerH1 Consultoria 
 
MODERADORA: 
Cristina Guterres, jornalista e apresentadora da TV Cultura 

 

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Bárbara Lima: “Houve um esfriamento das discussões sobre diversidade”

    Bárbara Lima: “Houve um esfriamento das discussões sobre diversidade”

    A VP do Observatório de Diversidade na Propaganda (ODP) avalia a queda na representatividade de mulheres na publicidade online

  • Linguagem neutra na comunicação: utopia ou realidade?

    Linguagem neutra na comunicação: utopia ou realidade?

    As crescentes discussões sobre realidades não-binárias têm desafiado as marcas a repensar sua responsabilidade na construção de gênero