Pesquisa: os comerciais mais emocionais da Copa

Buscar

Comunicação

Publicidade

Pesquisa: os comerciais mais emocionais da Copa

Filme de Guaraná Antarctica com Caniggia lidera ranking da System1 Research. McDonald's, Nike, Coca-Cola, Itaú, Vivo e Rexona também aparecem


16 de julho de 2018 - 16h43

Durante a Copa do Mundo, a agência inglesa System1 Research reuniu oito comerciais, exibidos no Brasil, que mais foram relevantes emocionalmente. A empresa avalia como as pessoas se sentem ao assistir ao vídeo, qual a força do sentimento e as razões que levaram o espectador a isso. Na análise, a System1 Research usou a ferramenta FaceTrace, uma métrica que considera as emoções felicidade, surpresa, tristeza, raiva, medo, repulsa e desprezo.

Segundo o estudo, o filme “Caniggia” de Guaraná Antarctica (acima), criado pela F/Nazca Saatchi&Saatchi, foi o primeiro do ranking. No vídeo, um garçom diz ao argentino Claudio Caniggia, responsável pelo gol contra o Brasil em 1990, que não está vendendo o produto para adversários. A marca ainda aparece em segundo lugar, com o comercial “Coréia”.

2. Guaraná Antarctica a McDonald´s

3. Nike

4. Coca-Cola

5. Itaú e Vivo

6. Rexona

*Crédito da foto no topo: Clive Rose/GettyImages

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Itaú

  • Rexona

  • Guarana Antarctica

  • Nike

  • Coca-Cola

  • McDonalds

  • System1 Research

  • nike

  • coca-cola

  • Itaú

  • mcdonalds

  • copa do mundo

  • Guaraná Antarctica

  • Rexona

  • System1 Research

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”