David Laloum assume como CSO e sócio da Distrito

Buscar

Acontece no meio

Publicidade

David Laloum assume como CSO e sócio da Distrito

Enquanto CEO da Y&R, o profissional atuava como mantenedor da empresa de inovação e, agora, assume como CSO e sócio junto com Gustavo Gierun e Gustavo Araújo

Luiz Gustavo Pacete
3 de novembro de 2020 - 6h00

 

Gustavo Gierun, David Laloum e Gustavo Araújo, CEO do Distrito (Crédito: Divulgação)

A partir desta semana, David Laloum, ex-CEO da Y&R, assume a posição de Chief Strategy Officer (CSO) do Distrito, empresa de inovação da qual também se torna sócio. A integração de Laloum ao time, que conta com Gustavo Gierun e Gustavo Araújo, CEO, marca uma nova fase da empresa que deve, a partir de agora, acelerar a agenda estratégica e de transformação de grandes empresas. Laloum estava a frente da Y&R no Brasil desde 2016 e deixou a agência em outubro, em função do processo de fusão global entre Y&R e VML, que durou dois anos.

Laloum explica que é próximo dos fundadores do Distrito desde a criação da empresa e acompanhava de perto sua evolução. “Fizemos uma série de parcerias com clientes da Y&R e sempre trocamos muito sobre tecnologia, inovação e estratégia de transformações de grandes empresas. Eu já fazia parte do board informal do Distrito, o que permitiu que essa transição acontecesse de forma muito natural”, explica Laloum.

Desde 2018, a Y&R é parceira e mantenedora da vertical de Adtech/Martech do Distrito. Segundo Laloum, isso fez com que a agência se aproximasse de várias startups, o que acabou possibilitando a troca de experiências e permitindo à agência dar orientações e feedbacks a várias startups e seus fundadores. “Por outro, também contribuiu no uso de novas soluções de tecnologia e de inovação para seus clientes. Há dois anos, isto era ainda embrionário para o mercado”, explica.

Nesta nova fase, o Distrito se divide em quatro frentes principais: Distrito for Startups, com serviços para acelerar as startups do ecossistema; Corporate Membership, conexão de grandes corporações à inovação aberta; Data Membership, produção de AI/tech e visão analítica do ecossistema de inovação; e, por fim, a área de Corporate Services, que conduz grandes empresas em processos de transformação digital através de educação executiva, estratégia, labs, corporate venture capital e venture building.

“A vertical de Adtech/Martech é uma das principais do Distrito, a primeira a ter sido criada três anos atrás. Se pensamos que Google, YouTube, Facebook, Twitter, Instagram, Tik Tok entre outras são empresas de mídia, podemos classificá-las como Adtechs. E são justamente estas empresas que revolucionaram a nossa relação com tecnologia na parte de software. Isso diz muito sobre o poder desta vertical. E esse poder se acelera ainda mais quando vemos alguns movimentos essenciais como a evolução de grandes empresas em plataformas onde milhões de clientes e dados viram um asset extraordinário e uma fonte de receita muito relevante.”

Neste contexto, Laloum acredita que o principal desafio nas empresas é cultural: abraçar a inovação aberta. “Mil vezes mais potente do que a inovação interna, parar de criar planejamentos para 3 ou 5 anos e, ao invés entrar em processos ágeis de prototipagem de novas soluções, testar, implementar o fast fail e aceitar a mudança como novo estado de permanência. Para isso, se fazem necessárias organizações que sejam pontes, conectores e facilitadoras, que transportem essas empresas para a nova economia.”

Compartilhe