Twitter transforma usuários em painel para pesquisas

Buscar

Marketing

Publicidade

Twitter transforma usuários em painel para pesquisas

Marcas poderão usar 12 mil internautas para testar produtos e campanhas antes do lançamento


10 de junho de 2016 - 11h24

Logo do Twitter no celular

Serviço está disponível apenas através de agências parceiras (crédito: reprodução)

(*) Por George Slefo, do Advertising Age

O Twitter está com uma nova iniciativa que pretende dar aos anunciantes insights de 12 mil usuários escolhidos pela plataforma de social media. Apelidado de Twitter Insiders, o programa tem como objetivo criar um balcão único para anunciantes recrutarem, criarem e coletarem pesquisas ao vivo.

Uma marca que quisesse fazer uma campanha arriscada, por exemplo, poderia primeiro apresenta-la aos insiders para descobrir se ela é ofensiva ou eficaz. “A pesquisa no Twitter Insiders ajuda a tirar o fator da dúvida de decisões de negócios importantes”, disse Gemma Proctor, gerente de pesquisa do Twitter, em um comunicado. “Iniciativas que tradicionalmente exigem um planejamento de longo prazo e altos recursos agora podem ser tomadas mais rápida e eficientemente com o apoio da rede do Twitter Insiders”.

O Twitter afirma que os Insiders são anônimos, têm pelo menos 16 anos e vivem ou nos Estados Unidos ou na Inglaterra. Ao se inscrever, os Insiders compartilham informações como renda, educação, gênero e interesses.

A companhia está oferecendo aos anunciantes projetos de curto e longo prazo, nos quais os Insiders participam de pesquisas. O primeiro, que pode ser colocado em ação em poucos dias, pode incluir pedidos para que os usuários avaliem uma campanha ao vivo, para que as agências possam ajustá-la em tempo real. Projetos de longo prazo podem levar de quatro a seis semanas para serem completados. São pesquisas intensivas e podem incluir como um novo produto ou filme de campanha deve ser lançado.

O Twitter não pagará aos insiders pela participação, mas oferecerá cartões de recompensa para eletrônicos como iPads e smartphones, de acordo com uma pessoa familiarizada com os planos. A base de usuários também pode receber o pedido para tirar fotos, fazer vídeos testes e análises de expressões faciais de imagens, entre outras coisas. Os insiders terão acesso a um quadro de mensagens próprio e, se quiserem, podem consultar outros usuários da mesma maneira que fazem no próprio Twitter.

“A comunidade existe como um fórum para os membros trocarem perguntas e ideias uns com os outros”, afirma o diretor de perspectivas de mercado e análises do Twitter, Tim Perzyk. “Nós selecionamos metodologias baseadas nas questões que gostaríamos de perguntar em nome dos nossos clientes. Isso inclui uma ampla gama de técnicas qualitativas e quantitativas, incluindo ambientes parecidos com fóruns e pesquisas, assim como atividades guiadas, como gravar a visualização de vídeo mobile de alguém e fornecer um testemunho da experiência”.

O serviço só está disponível ao mercado por meio de agências parceiras do Twitter. Os clientes podem acessar a ferramenta diretamente e criar estudos por meio do CSpace, um grupo de consultores que se foca em colaborações entre companhias e clientes. A companhia, cujas ações têm desvalorizado desde sua oferta pública de ações, tem aumentado agressivamente suas iniciativas na área de publicidade.

“Nós percebemos a oportunidade de tocar em nossa audiência influente e engajada – não apenas para conduzir pesquisas poderosas, como também para ligar suas resposta à riqueza de informações de comportamento que nós temos sobre os nossos usuários, como o que eles tuítam, quais tuítes eles curtem ou quem eles seguem”, disse Perzyk. “Isso nos coloca em uma posição única para resolver rapidamente e de uma forma multidimensional as questões dos anunciantes, coisa que outros publishers não podem fazer”.

Tradução: Odhara Caroline Rodrigues

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Gemma Proctor

  • Tim Perzyk

  • Twitter

  • Twitter Insiders

  • pesquisa

  • tecnologia

  • Publicidade