Os dez Profissionais de Marketing de 2020

Buscar

Marketing

Publicidade

Os dez Profissionais de Marketing de 2020

Meio & Mensagem lista os profissionais de anunciantes que se sobressaíram na indústria de publicidade ao longo do ano


16 de dezembro de 2020 - 6h00

Como faz anualmente, Meio & Mensagem destaca os profissionais que, pelo estilo de trabalho, características de gestão e pelos avanços conquistados em suas respectivas empresas e áreas de atuação, contribuíram para o avanço e a qualificação da indústria de comunicação.

A lista dos dez profissionais de anunciantes apresentada abaixo foi elaborada de acordo com critérios editorais de Meio & Mensagem. Os nomes dos profissionais são apresentados em ordem alfabética.

Ana Paula Rodrigues 
Há mais de uma década no Magazine Luiza, a executiva foi promovida a diretora de marketing em julho de 2019, num processo de reestruturação que inclui a ida de Rafael Montalvão para o posto de diretor de marketing e-commerce. Desde então, Ana Paula lidera o time responsável por aquisição de clientes, entrada em novos mercados, campanhas de performance, desenvolvimento da frente de mídia online to store, construção dos ativos da marca e campanhas multicanal. Neste ano, durante a pandemia, a varejista colocou no ar o Parceiro Magalu, plataforma digital para pequenas empresas e autônomos, e a opção mobile vendas, em que o vendedor pode auxiliar os clientes na compra digital. Também estreou as áreas Você em Casa e Mercado, no e-commerce. Na comunicação, no início da crise, foi à TV com campanha com o apresentador Luciano Hulk para apresentar suas soluções para o público. Ana também liderou a segunda edição do show Black das Blacks, live commerce do Magalu criado para a Black Friday e transmitido por Multishow e Globoplay, que ajudou para o crescimento de 100% das vendas online da Magalu em novembro.

Ilca Sierra
Com 20 anos de carreira em marketing, com atuação no Grupo Pão de Açúcar e Pernambucanas, a profissional assumiu o cargo de diretora de marketing e comunicação multicanal da Via Varejo em julho de 2019, após quase 10 anos no Magazine Luiza. Responsável por marcas como Casas Bahia, Pontofrio, banQi, Extra.com e Bartira, a executiva contribuiu para a aceleração da transformação digital da varejista. Com mais de mil lojas fechadas em função da pandemia, a Via Varejo investiu na humanização do atendimento online com o time de colaboradores ao colocar no ar os formatos Me Chama no Zap, de Casas Bahia, e Chama no Contatinho, de Ponto frio, unindo seus canais e impulsionando vendas. No marketing, em julho, Casas Bahia apresentou sua nova marca e, em outubro, remodelou o personagem Baianinho, rebatizado como CB. Já Na Black Friday, registrou vendas de R$ 3 bilhões, superando o recorde de 2019, com R$ 2,2 bilhões, registrada no ano passado. As vendas online cresceram 99% e responderam por 62,4% do total no período de 22 a 28 de novembro. Apenas o aplicativo Me Chama no Zap representou 18% das vendas online.

Maitê Lourenço 
Psicóloga, é fundadora e CEO da BlackRocks Startups, que desde 2016 incentiva empreendedores negros a acessarem o ecossistema de inovação, tecnologia e startups. Em 2019, ajudou cinco empresas a se desenvolverem e, neste ano, começou a acelerar 16 startups. Seu trabalho já foi reconhecido com prêmios como Campeã da categoria Impacto Social do Startup Awards e Inspiração do Programa Caldeirão do Huck. Em agosto, fechou parceria com o BTG Pactual. Por dois anos, o banco de investimento apoiará a startup por meio de investimento financeiro, conhecimento e networking. O objetivo é acelerar 24 empreendimentos selecionados, sendo ao menos 20% deles liderados por mulheres. Serão realizadas três rodadas de aceleração com ao menos oito companhias em cada. O projeto já selecionou as 10 primeiras. Já neste mês, a BlackRocks fechou parceria com o TikTok, que passou a apoiar o programa de aceleração Grow Startups — Cresça seu negócio. A BlackRocks tem os serviços Arena BlackRocks (festival online sobre transformação digital), IdeiAção (programa de workshops) e Noite de Mentorias (seleção de iniciativas para capacitação e aceleração).

Marcio Carvalho
Em um ano marcado pela digitalização das atividades profissionais e de entretenimento, e até mesmo das interações sociais, o mercado de telecomunicações foi primordial. Para atender os picos de demanda, a Claro foi primeira companhia, ainda em março, a anunciar medidas para garantir a conectividade ao público, em redes móveis, residenciais e até no WiFi — seguida por medidas coletivas do setor. Em conjunto com programadoras, abriu acesso a todos os canais de notícia na TV por assinatura para que as pessoas tivessem fontes confiáveis de informação. Em julho, a companhia deu início a implantação da rede 5G no Brasil, com implementação em alguns bairros de São Paulo e do Rio de Janeiro. Já em agosto, o time de marketing liderado pelo CMO desde 2017 colocou no ar uma campanha para anunciar a chegada da rede 5G ao País e a incorporação da Nextel ao portfólio de marcas do grupo. A operadora também investiu na criação da Live Store Claro. A iniciativa reúne streaming, chatbot e e-commerce para simular a experiência de uma loja Claro no digital, e foi lançada em outubro, em parceria com o hub de inovação da ID\TBWA.

Márcio Parizotto
O segmento financeiro passa por uma série de transformações, como o aumento da concorrência para bancos com o crescimento de fintechs, corretoras e empresas de solução de pagamento, a implementação do PIX e a expectativa pela chegada no Open Banking, adiado para o início de 2021. E os impactos da pandemia adicionaram complexidade ao cenário e ao trabalho do marketing dos bancos. No caso do Bradesco, o time liderado desde 2016 por Parizotto investiu na comunicação para se posicionar ao lado dos clientes e da sociedade. Logo em março, junto com Itaú e Santander, e em parceria com Tesouro Nacional e Banco Central, ofereceu crédito e prazo especiais para financiar a folha de pagamento de pequenas e médias empresas. Já com Os Jetsons, a campanha “Reinventando o futuro” comunicou medidas como flexibilização de crédito e do pagamento de contas; ampliação da capacidade de atendimento pelos canais digitais; e adoção de horários diferenciados para o atendimento a idosos nas agências. Já com o surfista Gabriel Medina, o banco apresentou sua oferta de PIX.

Nina Silva
Negras e negros são 54% da população, 51% dos proprietários de negócios e movimentam R$1,7 trilhão por ano, mas também 75% dos 10% mais pobres, têm diferença de 40% para a renda dos brancos e sofrem um assassinato a cada 23 minutos. Expoente da luta por direitos raciais, Nina é fundadora e CEO do Movimento Black Money, hub de inovação para inserção e autonomia da comunidade negra na era digital junto a transformação do ecossistema empreendedor negro, com foco em comunicação, educação e geração de negócios pretos, e do D’Black Bank, fintech que conecta consumidores a empreendedores negros oferecendo serviços digitais. Executiva de TI e inovação há 20 anos, é uma das 100 afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo, pela Most Influential People of Africa Descent (MIPAD), e foi indicada pela Forbes como uma das 20 mulheres mais poderosas do Brasil em 2019. Em novembro, P&G, Black Money e Integrare apresentaram um programa de desenvolvimento para criar condições de reparações estruturais contribuindo com empreendimentos de pessoas negras.

Poliana Sousa 
Em um ano marcado pela complexidade dos cenários, a executiva acumulou desafios. Logo em fevereiro, após pouco mais de um ano na empresa de bebidas, Poliana foi promovida a vice-presidente de marketing da Coca-Cola no Brasil. Primeira brasileira a assumir a posição no País, recebeu como missão continuar o trabalho em busca de crescimento sustentável das 27 marcas e de maior aproximação entre o marketing e demais área da companhia. Com a pandemia, os desafios incluíram mudanças nos planos, como a aplicação no País da decisão global da companhia de suspender toda a sua publicidade, ainda em março. No retorno, em junho, enviou uma mensagem de esperança para o momento dizendo que “vamos passar por essa juntos”. Já em novembro, lançou “The Letter”, campanha global que celebra os 100 anos da relação da companhia de bebidas com o Natal. No mesmo mês, Poliana recebeu nova promoção: assumiu a liderança da marca Coca-Cola para toda a América Latina, sendo responsável pela estratégia, inovação e comunicação da bebida carro-chefe mundial da empresa.

Stella Brant
Com mais de 25 anos de carreira e com passagens por AB InBev e 99, a executiva iniciou um novo desafio em abril deste ano, quando se tornou sócia e chief marketing officer (CMO) da startup de alimentação saudável Liv Up. Assumiu a posição na foodtech com o objetivo de potencializar o propósito da companhia de construir um universo de alimentação saudável, gostosa e prática, e triplicar seu tamanho até o final de 2020. O plano de crescimento neste ano incluiu a entrada no canal corporativo e no mercado de Cloud Kitchen, com quatro restaurantes da submarca Salad Stories, em São Paulo, focados em saladas, e atender à demanda gerada pela expansão da companhia realizada em 2019. Do início do ano para cá, a empresa passou de 250 mil refeições e alimentos saudáveis comercializados por mês para 400 mil. No mercado há quatro anos, a Liv Up está presente em 40 cidades brasileiras. A base de sua produção é orgânica e familiar — são 25 produtores familiares — e seu portfólio inclui refeições e porções ultracongeladas, snacks, sucos, lanches e pastas.

Thiago Lopes
Num ano marcado pelo crescimento da audiência dos serviços de streaming — de julho de 2019 a julho deste ano o crescimento foi de 126%, segundo dados da Kantar Ibope Media, e a audiência das plataformas superou a da TV por assinatura em julho —, a Netflix esteve muito presente na mídia, desde as redes sociais até a TV aberta, trabalho liderado por Thiago, vice-presidente de marketing para Brasil, Argentina, Chile e Peru desde 2014. Na final do Big Brother Brasil, em abril, a empresa veiculou comerciais no intervalo da Globo divulgando suas produções. Antes, em janeiro, promoveu o Tudum Festival, no Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O evento reuniu elenco de séries originais e teve espaço inspirados nas produções e ativações de marca. Em novembro, o Tudum ganhou versão digital. Já no início do isolamento social, em abril, a Netflix deu dicas de conteúdo no Amazon Prime Video, Globoplay, HBO e Telecine em sua conta no Twitter, mobilizando a audiência, canais de TV e concorrência em torno da necessidade de ficar em casa.

Vanessa Brandão
Intrinsecamente atrelada a momentos de celebração e descontração, a categoria de cervejas precisou se reinventar para se manter relevante para consumidores e parceiros no distanciamento social, como fez a Heineken, quem tem Vanessa como diretora de marketing desde 2017. Para auxiliar bares, a cervejaria criou o Brinde do Bem, ação em que clientes fizeram doações — dobradas pela empresa — que seriam convertidas em consumo no estabelecimento de sua preferência. Já com a startup Goomer, lançou plataforma digital que permite que pessoas façam pedidos para pequenos bares e restaurantes sem intermediação de apps de entrega. O ano também marcou a chegada de Heineken 0,0 ao Brasil, em julho. Em ação com o Rappi, a marca distribuiu 700 mil unidades no Rio de Janeiro e em São Paulo para promover novas ocasiões de consumo da cerveja sem álcool. Já com Publicis e iProspect, realizou ações de conteúdo e merchandising em TV aberta e fechada, canais digitais e redes sociais. No primeiro semestre, Heineken apresentou crescimento de volume de dois dígitos no Brasil.

Publicidade

Compartilhe