McDonald’s inaugura loja de roupas e souvenirs

Buscar

Marketing

Publicidade

McDonald’s inaugura loja de roupas e souvenirs

Fisicamente ao lado do Méqui 1.000, “Use Méqui” terá também store in store no e-commerce do Magalu, com entregas para todo o Brasil

Roseani Rocha
8 de novembro de 2021 - 6h00

Use Méqui, que começou a funcionar no domingo, 7 de novembro (Crédito: Divulgação)

É o “amo muito tudo isso” levado ao extremo. Neste domingo, 7, o McDonald’s inaugurou a Use Méqui, primeira loja física da rede com foco em “memorabilia” e souvenirs, ou seja, roupas, acessórios e outros artigos oficiais da marca McDonald’s, homologados pelo global, que serão vendidos aos fãs mais apaixonados.

Projeto não é temporário e compra dos itens não estará ligada a promoções ou à aquisição dos lanches (Crédito: Divulgação)

Instalada em um trailer, ao lado do Méqui 1.000, na Avenida Paulista, a loja física venderá inicialmente dez produtos, incluindo uma nova edição do pijama feito em ação de parceria com o BBB 21 e o “M” do Méqui, customizável. De tempos em tempos, serão trazidas novidades, em itens como roupas, acessórios, merchandising (camiseta, caderno, adesivo, chaveiros etc.).

 

Momento positivo da marca no Brasil, segundo João Branco, motivou a iniciativa (Crédito: Divulgação)

Apaixonados pela marca que não morem na cidade de São Paulo também serão contemplados no projeto feito a quatro mãos com a agência Galeria. A partir desta quinta-feira, 11, o McDonald’s terá uma “store in store” no e-commerce do Magalu e fará entregas para todo o Brasil. A loja virtual terá fachada especial no marketplace e o nome “Méqui da Magalu”. As duas companhias já haviam feito ações em conjunto, como a Lu no Drive e trocas de cupons promocionais entre si.

“Vimos o grande sucesso com os pijamas do Big Brother e alguns itens que fomos fazendo ao longo do tempo. Eles geraram engajamento muito grande e demonstram um amor pela marca que já está num nível que merece ir além da comida”, explica João Branco, CMO do McDonald’s.

Na 5a-feira, 11, versão online da loja também será inaugurada no marketplace do Magalu (Crédito: Divulgação)

Antes ainda dos pijamas, no auge da pandemia, uma edição limitada da “almofadeja” – almofada com bandeja do Méqui para que o cliente do delivery pudesse comer seu lanche no conforto do sofá, por exemplo – foi feita em edição limitada de 500 unidades, mas a demanda acabou sendo bem maior do que o esperado. No começo deste ano, após a Festa do Pijama no BBB, a rede de fast food passou a vender a Méqui BBBox. Em pedidos feitos pelo iFood, o cliente poderia pedir a cada semana um item – meias, camiseta e tapa-olhos, até completar o look. Neste caso, a escala já foi ampliada para 100 mil itens, comercializados em escala nacional. E em setembro, o “M” do Méqui também começou a ser vendido como item de decoração, em edição limitada, mas em todos os restaurantes e drive-thrus, e não apenas via delivery (numa ação de “combo + R$ 29,90”). “Agora não é mais promo, nem edição limitada. Também não é uma nova marca, mas uma linha que tem uma finalidade diferente. Não vamos virar uma loja de roupas ou franquia de varejo de vestuário”, argumenta o CMO.

Além de evento na inauguração, o plano de comunicação envolve ações em digital com influenciadores. A expectativa, deixa claro João Branco, não é gerar lucro com a nova linha, mas propiciar uma experiência mais completa e lúdica aos fãs mais fervorosos da marca.

 

Publicidade

Compartilhe