Sancionada migração de rádios AM para FM

Buscar

Mídia

Publicidade

Sancionada migração de rádios AM para FM

Presidente Dilma Rousseff assinou decreto que regulamenta transição de faixas, favorecendo até 1,8 mil emissoras brasileiras

Igor Ribeiro
7 de novembro de 2013 - 12h16

Durante cerimônia conduzida no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff assinou o decreto que regulamenta a transição das emissoras AMs para a faixa FM. A medida é estratégica para o mercado radiofônico, cuja baixa qualidade das ondas médias vinha perdendo audiência e anunciantes para as emissoras em VHF.

A sessão foi aberta por Daniel Slaviero, presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert). Também falaram João Jorge Saad, presidente da Associação Brasileira de Radiodifusores (Abra) e presidente do Grupo Bandeirantes; Luiz Claudio da Silva Costa, presidente da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel); e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. No tablado, além da presidente e do ministro, estavam o presidente do Senado, Renan Calheiros, e a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Na plateia, havia políticos, autoridades e empresários do setor. A escolha da data foi simbólica: 7 de novembro é também o Dia do Radialista.

Saad ressaltou a importância do decreto para o mercado e questionou a possibilidade de o governo facilitar financiamentos para custear despesas técnicas da transição. Costa considerou a data um “marco divisor na história do rádio brasileiro”, agradecendo ao apoio dos diferentes ministérios, do executivo e do legislativo no processo. Slaviero também agradeceu e aproveitou o ensejo para destacar o projeto de Flexibilização da Voz do Brasil, que “circula há 12 anos no Congresso”, disse. Segundo o diretor da Abert, o texto prevê três horas de margem para veiculação da programação pública e está a ponto para ser votado.

O ministro da comunicação ressaltou que as emissoras interessadas em continuar na faixa AM serão respeitadas e poderão ser beneficiadas com ampliação de cobertura. Segundo Bernardo, a Anatel vai realizar estudos de viabilidade técnica para verificar a inclusão de novos canais, principalmente nas grandes cidades, onde o espectro FM está repleto e precisará de uma extensão de faixa (veja gráfico abaixo).

A presidente, após assinar o decreto, destacou que a migração para o FM vai também conquistar novas gerações que não se habituaram ao AM, embora sejam ouvintes frequentes de música e programação em dispositivos móveis. Dilma ressaltou o caráter histórico do AM, lembrando como as emissoras de ondas médias marcaram sua infância, citando diversos programas e personagens, como a radionovela Direito de Nascer e o mocinho Albertinho Limonta, interpretado por Amilton Fernandes, arrancando risos e aplausos. A presidente terminou seu discurso lembrando que hoje é também aniversário de Ary Barroso, que começou sua popularidade no rádio brasileiro, e parabenizou os radialistas pelo seu dia.

O projeto de migração das rádios AM para FM também foi destacado na edição 1584, de 2 de novembro, exclusivamente para assinantes de Meio & Mensagem, disponível nas versões impressa ou para tablets Apple e Android.

wrapswraps

Publicidade

Compartilhe