Vencedora de licitação de mídia estática no Brasileirão já foi loja de móveis

Buscar

Mídia

Publicidade

Vencedora de licitação de mídia estática no Brasileirão já foi loja de móveis

Reportagem da Folha de S.Paulo questiona a formação da BR Newmedia, que formatou nova empresa para a gestão das propriedades esportivas

Roseani Rocha
23 de novembro de 2018 - 13h57

Footflix é uma das duas empresas da BRFoot Mídia e terá direito de explorar as placas em campo (Crédito: Reprodução site Footlix)

Contratada no final do ano passado numa licitação intermediada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a exploração comercial da mídia nos campos de futebol da série A, a BRFoot Mídia assinou um contrato de R$ 550 milhões. Nesta quinta-feira, 22, no entanto, reportagem publicada pela Folha de S.Paulo trouxe a informação de que a vencedora era há pouco tempo uma empresa de móveis, a Farimor Mobiliários de Escritório.

Em dezembro de 2017, a Junta Comercial do Rio de Janeiro aprovou a mudança do contrato social da Farimor e de sua atividade econômica para agência de publicidade: BR Newmedia Distribuição de Conteúdo Digital.  Foi a proposta desta empresa a apresentada e aceita pelos clubes. Mas quem assinou o contrato efetivamente – R$ 110 milhões pelos direitos internacionais de transmissão e R$ 440, pelas placas de publicidade, sendo 10% do total comissão à CBF — foi a BRFoot Mídia, criada após a licitação.

O jornal questiona o fato de uma empresa de origem inusitada e recém-fundada ter batido gigantes internacionais como a francesa Lagardère (1.600 funcionários e 50 anos de experiência) e as americanas Octagon (que gerencia atletas e faz cerca de 13 mil eventos por ano) e IMG (escritórios em mais de 30 países e dona de direitos internacionais da Libertadores e campeonato inglês), além de players locais, como Klefer, Propaganda Estática e SportPromotion (que ficou com os direitos de comercialização de Corinthians e Flamengo, que não se alinharam à CBF na licitação).

A reportagem também lembra que após a assinatura do contrato com a CBF, a BRFoot Mídia foi vendida a um fundo chamado FanFoot, localizado no paraíso fiscal de Delaware, nos EUA. Já a BR Newmedia tinha como representante jurídico na época da negociação Caio Cesar Vieira Rocha (ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Ele apontou Patrícia Coelho como controladora da empresa e disse não saber se a exclusão da BR Newmedia da licitação havia ocorrido por “irregularidade, desvio de conduta ou incapacidade financeira”.

Procurada pela reportagem de Meio & Mensagem para comentar a reportagem, a Footflix, que pertence à BRFoot Mídia e fará a comercialização das placas de campo (a FanHero, outra empresa do grupo, terá direito sobre a transmissão internacional), enviou a seguinte nota:

“Em relação à reportagem publicada pela Folha de S.Paulo em 23 de novembro, a BRFoot Mídia S.A. vem a público esclarecer que é uma empresa pertencente ao Grupo Futbol Holding. Que não tem nem nunca teve qualquer ligação com a BR News Media ou com a Sra. Patrícia Coelho. A BRFoot Mídia ressalta que a sua participação em concorrência organizada pela CBF se deu de forma lícita, transparente e idônea. A BRFoot Mídia S.A. foi a empresa constituída para abrigar os investidores que disputaram a concorrência. A proposta encampada pela BRFoot Mídia S.A. foi inicialmente considerada a mais vantajosa pelos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Ressalta que, em sentido contrário ao que já foi publicado, não coube à CBF a palavra final na escolha da melhor proposta mas apenas aos próprios clubes. Dentre os 20 clubes que escolheram a proposta da BRFoot Mídia S.A. como mais vantajosa, 17 já assinaram o contrato para ceder o direito de utilização da publicidade estática dos respectivos estádios,  durante o Campeonato da Série A. O contrato que cede os direitos de transmissão internacional do mesmo campeonato, por sua vez, já foi assinado por de 18 dos mesmos 20 clubes. A empresa destaca que a comissão prevista em contrato para a CBF é resultado de tratativas entre os Clubes e a própria CBF, não comportando à BRFoot Mídia S.A. qualquer comentário a respeito.”

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Caio Cesar Vieira Rocha

  • Patrícia Coelho

  • CBF

  • Confederação Brasileira de Futebol

  • BR Newmedia

  • BRFoot Mídia

  • Farimor Mobiliários de Escritório

  • esporte

  • futebol

  • mídia estática