Com originais, Apple anuncia plataforma de streaming

Buscar

Mídia

Publicidade

Com originais, Apple anuncia plataforma de streaming

Sem publicidade, plataforma terá produções originais e lançamento simultâneo em 100 países até o final deste ano

Amanda Schnaider
25 de março de 2019 - 16h24

Tim Cook, CEO da Apple, anuncia ao streaming de vídeo Apple TV+ por assinatura (Crédito: Reprodução/Apple)

A Apple lançou sua plataforma de streaming de vídeo, Apple TV+, nesta segunda-feira, 25, em evento no Steve Jobs Theater, em Cupertino, na Califórnia. O serviço de video on demand da companhia contará com filmes e séries originais, como Amazing Stories, de Steven Spielberg; The Morning Show, com Reese Whiterspoon, Jennifer Aniston e Steve Carrel, e outras produções com a participação de Oprah Winfrey, Jason Momoa, JJ Abrams e Sara Bareilles, entre outros.

Segundo a companhia, o serviço não terá publicidade e estará disponível no outono deste ano (primavera no Brasil) em mais de cem países. De acordo com Tim Cook, CEO da Apple, a plataforma reúne “os contadores de histórias mais criativos do mundo”. O valor da assinatura ainda não foi divulgado.

Apple TV Channels

Além do Apple TV+, a empresa anunciou novos serviços e melhorias em outros já existentes. O Apple TV Channels é um deles. É uma plataforma que reunirá canais de TV como HBO e Showtime e serviços de streaming como Amazon Prime Video e Hulu no aplicativo da Apple TV, que contará como uma interface totalmente remodelada. Também será possível assinar canais de esportes e infantis. Segundo a companhia, o consumidor pagará apenas os canais que deseja. O serviço está previsto para maio deste ano e funcionará em iPads, Apple TVs, iPhones e Macs.

Apple News+ conta com mais de 300 títulos de revistas e jornais (Crédito: Reprodução/Apple)

Apple News+

O Apple News se transformada em Apple News+, cujo acervo terá mais de 300 títulos de revistas e jornais por US$ 9,99 (R$ 38,56, na cotação atual) por mês. Para Cook, essa plataforma trará “a melhor experiência com revistas”. A assinatura será “family sharing”, ou seja, todos os membros da família poderão ler os artigos simultaneamente em seus respectivos aparelhos sem custo adicional. O primeiro mês de assinatura é gratuito. Por enquanto, essa novidade funcionará somente nos Estados Unidos e Canadá em versões em inglês e francês e, de acordo com a companhia, até o final deste ano estará disponível na Austrália e Europa.

Apple Card

Outro lançamento foi o Apple Card, um cartão de crédito, conforme os detalhes dados por Cook, é sem taxas, tem juros mais baixos que os cartões comuns, são mais fáceis de serem adquiridos, veem com um programa claro de recompensas, são privados e seguros e aceitos no mundo todo. Segundo a companhia, o cartão poderá adquirido através do iPhone em questão de minutos e será incorporado ao Apple Wallet do celular que funciona juntamente com o Apple Pay. Além disso, o cartão físico será de titânio com o nome do usuário escrito a laser e terá um visual minimalista, pois não terá números, código de segurança, data de expiração e nem assinatura.

Detalhes de transações e, relatórios semanais e mensais podem ser checados no Apple Wallet (Crédito: Reprodução/Apple)

Segundo Jennifer Bailey, vice-presidente do Apple Pay, o cartão foi desenvolvido para “uma vida financeira mais saudável que começa com um melhor entendimento de seus gastos”. Por isso, cada detalhe das transações feitas, como endereços e datas das compras, serão exibidas na Apple Wallet em categorias como alimentos, comidas e compras. Além disso, os usuários poderão acompanhar seus gastos através de relatórios semanais e mensais liberados pela companhia. 

Outra novidade é o programa de cashback Daily Cash, no qual a cada compra realizada com o Apple Card no Apple Pay, o usuário receberá 2% do valor de volta. Caso a compra seja de serviços da companhia, o usuário receberá 3%. Das transações feitas com o cartão físico, terá 1% de retorno. O cartão é fruto da parceria da Apple com o banco Goldman Sachs e Mastercard e, por enquanto, será lançada no próximo verão (inverno no Brasil) somente nos Estados Unidos.

Apple Arcade, plataforma de assinatura de jogos, que contém mais de 100 jogos que podem ser jogados off-line (Crédito: Reprodução/Apple)

Apple Arcade

O universo dos jogos também foi alvo de mudanças na Apple. A companhia divulgou o lançamento do Apple Arcade, uma plataforma de assinatura de jogos em uma nova área da Apple Store que contém mais de cem jogos. Gradativamente, mais games serão inseridos. De acordo com a companhia, será possível jogar off-line nos aparelhos iPhone, iPad, Mac e Apple TV, sem anúncios e sem a cobrança de taxa extra dentro dos jogos. A plataforma, conforme a Apple, estará disponível no outono (primavera no Brasil) deste ano em mais de 150 países e regiões.

*Crédito da imagem no topo: Reprodução/Apple

 

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Tim Cook

  • Oprah Winfrey

  • Reese Whiterspoon

  • Jennifer Aniston

  • Jason Momoa

  • Jennifer Bailey

  • Apple

  • streaming

  • VOD

  • jogos

  • filmes

  • assinatura

  • Séries

  • Apple TV

  • Conteúdos originais

  • Apple Card

  • Apple News+

  • Apple Tv Channels

  • Apple Arcade

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”