Em cenário competitivo, Netflix muda métrica de audiência

Buscar

Mídia

Publicidade

Em cenário competitivo, Netflix muda métrica de audiência

Plataforma passará a considerar que um conteúdo foi assistido quando um usuário visualizá-lo por mais de dois minutos


22 de janeiro de 2020 - 16h43

The Witcher rendeu a maior audiência para a plataforma de streaming em uma primeira temporada, de acordo com dados da própria Netflix (Crédito: Reprodução)

A competição no setor de streaming está começando a ser sentida pela Netflix, sobretudo no que diz respeito aos clientes dos Estados Unidos, de acordo com o apresentado pela própria companhia, nos resultados financeiros referentes ao último trimestre de 2019, divulgados nessa terça-feira, 21.

Uma das principais informações contidas no relatório apresentado aos acionistas diz respeito à nova forma pela qual a Netflix irá contabilizar a audiência de seus produtos. A partir de agora, a plataforma considera que um conteúdo (filme ou um capítulo de série) foi assistido quando um usuário o sintoniza por mais de dois minutos. Antes, era necessário assistir, no mínimo, a 70% do conteúdo da produção para que a plataforma computasse a audiência daquele produto. Com a mudança, a Netflix passa a contar com uma média de audiência 35% maior em seus conteúdos.

Pelos resultados financeiros apresentados, a Netflix afirma ter conquistado 550 mil novos assinantes nos mercados do Canadá e Estados Unidos nos últimos três meses do ano. A quantia está abaixo do esperado pelos investidores – e é bem inferior ao 1,75 milhão de assinantes que a plataforma conquistou nos dois países no quarto trimestre de 2018. “Nosso baixo crescimento de assinantes (nos Estados Unidos e no Canadá) provavelmente foi causado por nossa recente mudança de preços e aos lançamentos competitivos no mercado dos Estados Unidos”, disse a companhia, em nota enviada aos acionistas.

O tímido crescimento veio ao mesmo tempo em que a Disney lançou seu aguardado streaming – o Disney+ – no  mercado estadunidense e que a Apple também entrou na briga no setor com Apple TV Plus, que já chegou aos assinantes com a série The Morning Show, estrelada por Jennifer Anniston, Reese Witherspoon e Steve Carell.

A guerra dos streamings, portanto, já apontam uma ameaça no horizonte da Netflix. Na semana passada, a NBCUniversal apresentou o Peacock, seu novo aplicativo de streaming que deve ser lançado no mercado em abril. “Como sempre, estamos trabalhando para melhorar nosso serviço e combater esses fatores e aumentar as assinaturas ao longo de tempo”, escreveu a Netflix no comunicado aos acionistas.

No mundo – incluindo os Estados Unidos – a Netflix conquistou 8,8 milhões de novos assinantes no último trimestre de 2019, quantia similar ao do mesmo período de 2018. As previsões da companhia são de adicionar outros sete 7 milhões de assinantes à sua base no primeiro trimestre de 2020. Nos primeiros três meses de 2019, a Netflix conquistou 9,6 milhões de novos clientes em todo o mundo.

No trimestre analisado, a Netflix gerou uma receita de US$ 5,5 bilhões, o que representa um crescimento de 30,6% na comparação com o ano anterior.

A Netflix também revelou que a série The Witcher foi responsável por render a maior audiência de uma série da plataforma na primeira temporada. A obra, estrelada pelo ator Henry Cavill, foi assistida 76 milhões de vezes nas primeiras quatro semanas após a estreia.

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Netflix

  • NBCUniversal

  • Disney

  • apple tv+

  • peacock

  • Audiovisual

  • Conteúdo

  • Negócios

  • streaming

  • Internacional

  • Estamos Unidos

  • Canadá

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”