Oscar atinge sua menor audiência nos Estados Unidos

Buscar

Mídia

Publicidade

Oscar atinge sua menor audiência nos Estados Unidos

Na noite da vitória de Parasita, os pontos registrados pela rede de TV ABC foram 20% menores do que a audiência de 2019


11 de fevereiro de 2020 - 17h02

Por Anthony Crupi, do Advertising Age

Uma escassez de blockbusters e uma queda significativa no número de casas com a TV ligada conspiraram para uma queda em uma das premiações mais formidáveis da TV. A audiência da noite da 92ª edição do Oscar, ou Academy Awards, na ABC, foi a menor de todos os tempos nos Estados Unidos.

 

Parasita, de Bong Joon-ho, ganhou Melhor Filme, Melhor Filme Internacional, Melhor Direção e Melhor Roteiro Original (Photo by Kevork Djansezian/Getty Images)

De acordo com dados diários da Nielsen, esta última edição da premiação teve, em média, 23,6 milhões de espectadores na TV. A segunda menor marca foi registrada dois anos atrás, quando a ABC teve uma média de 26,5 milhões.

A queda foi de 20% se comparada com a transmissão de 2019, que teve um público de 29,6 milhões. Em apenas quatro anos, a transmissão do Oscar viu quase metade de seus telespectadores cobiçados pelos anunciantes desaparecerem, em uma taxa que é mais acelerada do que as perdas que as emissoras têm enfrentado na sua programação de entretenimento no mesmo período de tempo. Desde 2016, as quatro maiores programadoras viram 32% das suas impressões comerciais para programas roteirizados e não-esportivos desaparecer.

Nos anos recentes, as mulheres formaram 62% da audiência adulta do Oscar. O Super Bowl tem uma divisão de gênero bem melhor dividida, com mulheres somando 47% do público acima de 18 anos.

Ainda que esses 23,6 milhões de telespectadores se qualifiquem como uma audiência grande em uma era de fragmentação acelerada da mídia, a cerimônia do Academy Awards não é mais o evento mais top entre os bailes de gala anuais. A edição deste ano do Grammy ultrapassou a audiência do Oscar entre o público de 18 a 49 anos. Em janeiro, a CBS superou a ABC por um décimo, mas obteve uma vitória muito mais convincente em 2012, quando a premiação de música teve 14.1 pontos de audiência. No mesmo ano, o Oscar atingiu 13 pontos.

O entusiasmo para acompanhar o Oscar deste ano pode ter sido abafado pela lista de indicados. Ainda que Parasita tenha merecido a estatueta de Melhor Filme, um longa de língua estrangeira que faturou US$ 35,5 milhões em cinemas dos Estados Unidos não é exatamente o tipo de fator que ajuda a aumentar a audiência da TV. Disputando entre Fora de Série e Stuber, Parasita foi a 98ª maior bilheteria de 2019.

A mesma dinâmica se deu entre as categorias de atuação. Joaquin Phoenix representou o único blockbuster que entrou para o grupo dos ganhadores. O papel principal de Phoenix em Coringa, filme que arrecadou US$ 335 milhões, o fez ganhar Melhor Ator no campo que incluía dois protagonistas da Netflix (Adam Driver, em História de Um Casamento, e Anthony Hopkins, em Dois Papas) assim como Antonio Banderas no filme em espanhol Dor e Glória.

Também disputando o prêmio de Melhor Ator estava Leonardo DiCaprio, com seu papel em Era Uma Vez… Em Hollywood, que apareceu bem proeminente nas noites do Oscar. Na época em que a 70ª edição do Oscar foi ao ar, Titanic, de James Cameron, havia ganho US$ 339,7 milhões na bilheteria doméstica, o tornando o maior money-maker da história do Oscar. Sem surpresas, a popularidade do filme foi traduzida nas entregas televisivas: os 55,3 milhões de telespectadores que sintonizaram na ABC em 23 de março de 1998, criaram um recorde que ainda está em aberto para ser superado.

De acordo com o iSpot.tv., entre as empresas e marcas que mais investiram na transmissão da 92ª edição estiveram: Cadillac, Verizon, Rolex, Hulu, M&Ms, Quibi, Adobe, Google, McDonald’s e Samsung Mobile. A SQAD MediaCosts estima que o préço médio cobrado para os anunciantes que anunciaram no intervalo comercial do Oscar foi de US$ 1,9 milhão. Alguns comerciais de 30 segundos, no entanto, podem ter custado cerca de US$ 2,3 milhões.

Tradução: Thaís Monteiro

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • james cameron

  • anthony hopkins

  • adam driver

  • Leonardo DiCaprio

  • Joaquin Phoenix

  • Nielsen

  • Google

  • McDonalds

  • Hulu

  • verizon

  • adobe

  • M&M's

  • Cadillac

  • CBS

  • ABC

  • Rolex

  • ispot.tv

  • Quibi

  • samsung mobile

  • sqad mediacosts

  • Audiência

  • Oscar

  • televisão

  • Super Bowl

  • TV

  • premiações

  • Grammy

  • Academy Awards