Cenp-Meios: Compra de mídia cai 29% de janeiro a setembro

Buscar

Mídia

Publicidade

Cenp-Meios: Compra de mídia cai 29% de janeiro a setembro

Internet e TV aberta são os meios que registraram as menores retrações, na comparação ao mesmo período do ano passado

Alexandre Zaghi Lemos
2 de dezembro de 2020 - 15h56

Os dados do Cenp-Meios, monitoramento realizado junto às maiores agência de publicidade do País pelo Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp), totalizaram R$ 8,9 bilhões em compra de mídia no período de janeiro a setembro de 2020, montante que passou pelas 217 agências certificadas que enviaram dados consolidados no período. O resultado é 29% menor que o aferido no mesmo período de 2019, quando 226 agências reportaram suas informações, sem considerar a inflação do período.

É importante ressaltar, que os valores somados pelo Cenp-Meios não representam o total do bolo publicitário brasileiro, pois incluem a movimentação financeira destinada à veiculação de publicidade que passa pelas agências certificadas pelo Cenp e participantes do projeto.

O reflexo da crise causada pelo combate à Covid-19 foi sentido desde a primeira divulgação do Cenp-Meios em 2020, relativa ao primeiro trimestre. Os números divulgados anteriormente mostraram queda de 22,3% no período de janeiro a março na compra de mídia que passou pelas 209 agências monitoradas, na comparação com o mesmo período de 2019, quando 214 empresas enviaram informações ao levantamento. O consolidado do primeiro semestre fez a retração subir para 30%, na comparação do reporte das 213 agências que enviaram dados do período de janeiro a junho de 2020 com as 218 que o fizeram nos primeiros seis meses de 2019.

Considerando os dados de janeiro a setembro de 2020, todos os oito meios monitorados apresentaram queda na comparação ao mesmo período do ano passado. Internet (-17%) e TV aberta (-27%) foram os meios que registraram as menores retrações. Os comportamentos nos demais meios foram: Cinema (-71%), Revista (-54%), Jornal (-47%), OOH (-44%), TV por assinatura (-39%) e Rádio (-30%).

Em termos de share, a participação da TV aberta cresceu de 53% para 54,1% do bolo. E a da internet subiu de 20,7% para 24,3%. Por outro lado, a mídia OOH caiu de 10,7% para 8,4% do total. E a TV por assinatura também recuou seu share de 7% para 5,9%.

Veja na tabela abaixo a divisão das verbas por meio no consolidado de janeiro a setembro de 2020:

O Cenp-Meios também desmembra o investimento de internet em cinco diferentes categorias: áudio, vídeo, busca, social e display/outros. Veja como ficou a distribuição das verbas publicitárias de internet de janeiro a setembro de 2020:

Publicidade

Compartilhe