Como os brasileiros se relacionam com apostas

Buscar

Como os brasileiros se relacionam com apostas

Buscar
Publicidade

Marketing

Como os brasileiros se relacionam com apostas

Pesquisa aponta que 76% dos internautas, acima de 18 anos, fazem algum tipo de aposta, seja online ou em loterias


17 de outubro de 2023 - 16h20

Loteria é o tipo de aposta mais popular entre os apostadores (Crédito: Trendy Graphics / Adobe-stock)

Loteria é o tipo de aposta mais popular entre os apostadores (Crédito: Trendy Graphics / Adobe-stock)

O Instituto Qualibest, em parceria com a ENV Media, realizou uma pesquisa que tinha como objetivo investigar a relação dos brasileiros com as apostas e jogos de azar. Para isso, as empresas consultaram 550 pessoas com mais de 18 anos que pertencem à base do QualiBest.com.

Desse modo, os dados analisados indicaram que 76% dos respondentes fazem algum tipo de jogo online ou aposta. As modalidades variam entre loterias, jogo do bicho, jogos de carta, caça níquel ou até mesmo a raspadinha.

Nas modalidades, as loterias são as mais populares entre os internautas, com uma representatividade de 58%. Na gama de apostas online, três quartos dos apostadores afirmam que fazem ou já fizeram esse tipo de investimento. Destes, 38% apostam online pelo menos uma vez por semana, já outros 23% têm uma frequência quinzenal.

Com relação a valores, o investimento médio chega a R$ 58, mas pode atingir um valor próximo a R$ 80. No caso dos apostadores online, o valor mensal chega perto dos R$ 70.

Aposta e confiança

Apesar de o número de apostadores que tiveram problemas com apostas online ser baixo (14%), a confiabilidade não atinge nem metade dos respondentes. A pesquisa apontou que apenas 32% acham esse meio seguro e confiável.

Entre os não jogadores o índice é ainda menor. Para esse público, apenas 2% acham totalmente confiável e mais da metade dos respondentes não acha seguro ou confiável.

Quem são os apostadores?

Os homens são o perfil que mais investe, representando 39%. Além disso, os mais jovens, da geração Y (geração dos nascidos entre 1982  e 1994) são os que mais jogam. Enquanto isso, os Baby Boomers são os que menos jogam, com uma representação de 20%.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Pixbet e Flamengo ampliam contrato com valor recorde

    Pixbet e Flamengo ampliam contrato com valor recorde

    Novo contrato poderá render R$ 470 milhões até o final de 2027, o que representa o maior contrato de patrocínio da história do time

  • L’Oréal Paris leva pautas sobre equidade para Cannes

    L’Oréal Paris leva pautas sobre equidade para Cannes

    Como esforço de marketing para construção de marca, o grupo L'Oréal tem reforçado seu interesse em pautas sobre diversidade, feminismo e gênero