Por que o Google firmou parceria com uma startup brasileira de IA?

Buscar

Por que o Google firmou parceria com uma startup brasileira de IA?

Buscar
Publicidade

Mídia

Por que o Google firmou parceria com uma startup brasileira de IA?

Ao lado da Trakto, a big tech apresenta solução de IA para que grandes anunciantes escalem a criação de peças para campanhas veiculadas em plataformas Google


4 de abril de 2024 - 15h42

A complexidade da escalabilidade de peças para a veiculação de campanhas nos inúmeros canais digitais existentes é um dos desafios de anunciantes em todo o Brasil. Dados do Google apontam que 98% das grandes marcas não fazem uso de múltiplos formatos para suas ações.

trakto.studio

Trakto.Studio será disponibilizado a anunciantes clientes do Google (Crédito: Reprodução)

Com a ascensão da inteligência artificial, o Google tem apresentado soluções para auxiliar marcas a trabalharem o marketing com mais eficiência, agilidade e de maneira mais barata. Entre eles, o mais recente foi a PerformanceMax, apresentado em 2021. Segundo a empresa, quase 50% do impacto financeiro do marketing vem da criação.

Nesta quinta-feira, 4, a big tech oficializou o lançamento da Trakto.Studio, em parceria com a startup alagoana Trakto. A ferramenta é baseada na Vertex AI, solução de IA generativa do Google Cloud, e se apresenta como a primeira plataforma brand-first multiformatos. A solução permite a criação de uma ampla variedade de peças de forma automática a partir da identificação de um guideline com atributos e elementos de marca.

“Para os times de marketing, é uma liberdade que envolve uma série de profissionais”, apontou Paulo Tenório, fundador e CEO da Trakto, durante coletiva de imprensa. De acordo com ele, a ferramenta chega para resolver uma dor comum dos anunciantes: a da escalabilidade. Assim, é possível dar vazão à uma facilitação operacional e migrar para o trabalho de impacto estratégico, criativo e menos mecânico e repetitivo.

A história da Trakto com o Google não é recente. Fundada em 2015, participou no ano seguinte da aceleração Google for Startups. Já em 2021, a empresa ingressou no Black Founders Fund da big tech. O piloto do Trakto.Studio foi materializado em 2022 e, desde o ano passado, esteve disponível em modelo beta para alguns clientes, entre agências e anunciantes no Brasil.

Algumas das marcas que já fazem uso da solução estão a Amazon, Electrolux e MadeiraMadeira. A ferramenta também já opera em toda a América Latina, disponível em português, inglês e espanhol.

Confira o vídeo do anúncio:

Aplicação do Trakto.Studio

A interface do Trakto.Studio, conectada ao Gemini, permite o processamento de diversas informações, bem como possibilita a testagem e experimentação. A partir de uploads de arquivos de imagem e outros dados, como planilhas com produtos e preços, a plataforma transforma as informações em anúncios personalizáveis voltadas para o ecossistema do Google, como YouTube, Gmail, Busca e outros.

As centenas e milhares de peças geradas podem ser editadas pelos anunciantes. É possível realizar a alteração de cores, remover imagem de fundo etc.

A solução conta, ainda, com integração para o Google Ads e o Merchant Center. De acordo com Newton Neto, diretor de parcerias do Google para a América Latina, isso facilita o processo de ativação das campanhas. O executivo afirmou que a parceria com a Trakto é parte da missão do time de criar alianças estratégicas com parceiros relevantes para o mercado local e, assim, servir melhor usuários, anunciantes e parceiros. “Estamos comprometidos em desenvolver esses ecossistemas localmente”, disse Neto.

Planos futuros

Com o Gemini, o Trakto.Studio permitirá a criação de imagens e animações a partir de um prompt. Anunciantes poderão animar peças, gerar áudios com traduções, sotaques e adaptar linguagens para cada público-alvo a partir da regionalidade. “O uso de IA está começando, mas para o Trakto.Studio já é realidade”, reiterou

Mobile para AI first

Gustavo Souza, diretor-geral de produtos de publicidade e soluções para clientes do Google Brasil, comentou que os esforços fazem parte do movimento do Google de migrar do posicionamento de mobile first para AI first.

Ao Meio & Mensagem, Souza afirmou que o Google está atualizando o gMaturity, índice que mede a maturidade digital das companhias. “Ele tem várias vertentes de análise. Uma delas é que, quanto mais automatizado o produto for em mensuração e segmentação, mais importante é o criativo. Então, uma das evoluções dele é agora é uma visão mais cautelosa sobre a diversidade criativa”, comentou.

Para cada subgrupo de campanha do Google Ads, o Google exige, no mínimo, cinco peças publicitárias diferentes. De acordo com o diretor-geral, a média atual é de menos da metade. Apesar disso, os executivos reiteraram que o Brasil está entre os principais adotantes de novas tecnologias e estão otimistas quanto à aceitação e aplicabilidade de novas ferramentas de IA para o marketing.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Apple poderá fechar acordo com OpenAI em breve

    Parceria permitirá integração de soluções de IA da OpenAI nos aparelhos da gigante da tecnologia; Apple está prestes a lançar o sistema operacional iOS 18 no iPhone

  • Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Gemini, IA do Google, terá pesquisa por vídeos

    Novidade foi apresentada pela plataforma no último dia 14 e visa juntar informações em tempo real