Podcast deve ser uma das principais mídias em 2024

Buscar

Podcast deve ser uma das principais mídias em 2024

Buscar
Publicidade

Opinião

Podcast deve ser uma das principais mídias em 2024

Pesquisa aponta que é o meio que tem maior crescimento, na intenção de consumo, e que tem impacto significativo entre as gerações Z e Y


21 de dezembro de 2023 - 14h00

Neste meu novo momento de carreira, tenho observado de perto as transformações no cenário midiático com ênfase nos podcasts e videocasts. Os números do recente relatório divulgado pela Nielsen sobre o consumo só confirmam o que tenho percebido: o podcast deve ser a principal mídia em 2024.

Segundo a pesquisa, 21% dos entrevistados planejam aumentar sua escuta de podcasts no próximo ano. Esse é o índice mais significativo de crescimento quando comparado a todas as outras formas de mídia, com nenhuma delas ultrapassando a marca de 12%. É um indicativo claro de que esses conteúdos estão ganhando cada vez mais espaço no cotidiano das pessoas.

O contrário também chama a atenção: apenas 6% dos ouvintes pretendem ouvir menos em 2024, registrando o número mais baixo no relatório. Isso reforça a ideia de que a fidelidade dos ouvintes de podcasts é notavelmente alta, e a mídia parece ter conquistado um lugar cativo em suas rotinas.

Um ponto particularmente interessante é o impacto nas gerações Z e Y. Estes grupos são os que mais planejam expandir sua escuta de podcasts, indicando uma forte conexão e identificação com esse formato de conteúdo. É evidente que os podcasts estão se tornando um meio preferido de consumo de mídia para as gerações mais jovens, afinal, os programas são acessíveis e podem ser ouvidos em praticamente qualquer lugar, seja durante o trajeto para a escola ou durante exercícios físicos.

Não podemos ignorar que nos últimos três anos, o podcast experimentou um aumento de 40% na escuta em todo o mundo. Esse crescimento é quase duas vezes maior do que o consumo de televisão e redes sociais no mesmo período. A pandemia teve um impacto significativo no consumo, pois durante os períodos de lockdown e distanciamento social, muitas pessoas buscaram novas formas de entretenimento e informação, e os podcasts emergiram como uma escolha popular.

Mais motivos para essa mudança marcante no comportamento de consumo de mídia: uma pesquisa divulgada pelo Exploding Topics, revelou esperar que a receita de anúncios de podcast cresça para US$ 2,56 bilhões em 2024. E segundo o estudo Podcast Player Market, o tamanho global do mercado de reprodutores de podcasts foi avaliado em US$ 1.562,8 milhões em 2022 e deve se expandir a um CAGR de 17,98% durante o período de previsão, atingindo US$ 4.215,48 milhões até 2028.

A notícia recente sobre a integração de podcasts na programação do SBT, conhecida como “PodNight“, reforça ainda mais essa ascensão. O SBT reconhece o potencial interativo, democrático e moderno que a internet oferece aos criadores de conteúdo e busca levar esses conceitos para a televisão. Além do Flow e Vênus, ambos parte do Grupo Flow, outros podcasts já estão confirmados para fazerem parte desse projeto inovador.

Os números não mentem, e a tendência clara é que essa forma de mídia continuará a desempenhar um papel cada vez mais proeminente em nossas vidas. Acreditar na evolução dos podcasts, é como apoiar uma combinação de dados tangíveis, mudanças nas preferências de consumo de mídia e a capacidade dessa forma de conteúdo se adaptar e evoluir continuamente, além de ser um excelente formato para comunicação das marcas de forma orgânica e não intrusiva.
A jornada rumo ao futuro é promissora, e mal posso esperar para vivenciá-la junto a vocês.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • O futuro do meio Rádio

    Breve análise dos insights apresentados no evento ABA 65 Anos, no pós-SXSW

  • Precisamos falar sobre Daniel Kahneman!

    Estudar o pensamento de Kahneman deveria ser matéria obrigatória em todo e qualquer curso universitário, pois nos ensina a apreciar a beleza da incerteza ao nosso redor