Samsung supera P&G como maior anunciante global

Buscar

Marketing

Publicidade

Samsung supera P&G como maior anunciante global

Chinesas Alibaba e Tencent também avançaram no ranking Ad Age de Maiores Anunciantes do Mundo


3 de dezembro de 2018 - 18h26

Samsung investiu 11,2 bilhões em 2017, alta de 13% (crédito: Georgeclerk/iStock)

Por Bradley Johnson, do Ad Age*

Há uma nova ordem mundial no ranking do Ad Age de Maiores Anunciantes do Mundo com a Samsung Electronics superando a Procter & Gamble. A empresa sul-coreana de produtos eletrônicos investiu US$ 11,2 bilhões em publicidade e promoção em 2017, o que representou uma alta de 13%, enquanto a multinacional de bens de consumo aplicou US$ 10,5 bilhões no ano fiscal encerrado em junho de 2018, mantendo os números estáveis.

Coincidência ou não, a Samsung ampliou os investimentos após a grande publicidade negativa que atingiu a marca com o recall do modelo Galaxy Note 7, em 2016, depois dos episódios de explosão da bateria. O atual ranking dos cem maios anunciantes é fruto da avaliação do Datacenter do Ad Age sobre os investimentos totais reportados ou estimados em publicidade, serviços de marketing (incluindo promoção e marketing direto) e marketing digital. Essa é a 32ª edição do estudo do Ad Age.

A P&G ainda é o maior anunciante do planeta numa definição mais restrita de publicidade. A empresa reportou investimentos de US$ 7,1 bilhões em propaganda em TV, mídia impressa, rádio, internet e OOH. Tirando a verba de promoção, o investimento em propaganda da Samsung foi de US$ 4,8 bilhões.

O investimento total dos cem maiores anunciantes do planeta cresceu 4,9% em 2017, chegando a US$ 279 bilhões. A verba de 68 companhias teve aumento. A lista inclui marcas globais desde a líder Samsung até a Mazda, que aparece em centésimo lugar com US$ 1,1 bilhão. Pelo levantamento, 105 companhias superaram a barreira de US$ 1 bilhão em investimentos.

Força oriental
A lista dos cem maiores inclui quatro marcas chinesas que, juntas, expandiram em 45% seus investimentos em marketing. Grande parte das suas verbas foram aplicadas no próprio país, que é o segundo maior mercado global de propaganda. O Alibaba Group Holding, maior varejo online chinês, mais do que dobrou o aporte em publicidade e promoção, indo para US$ 2,7 bilhões – foi o crescimento mais acelerado do ranking.

A verba da Tencent Holdings avançou 46%, chegando a US$ 2 bilhões, o segundo maior crescimento. A SAIC, maior montadora do país oriental, também investiu US$ 2 bilhões, alta de 23%, enquanto a empresa de alimentos Yili Group aplicou US$ 1,2 bilhão, crescimento de 6%.

Além das chinesas, outras as empresas de internet dominaram o ranking de crescimento acelerado de investimento em publicidade em 2017: Alphabet (32%), Netflix (29%) e Amazon (26%). O ranking inclui 10 companhias da era da internet. São elas Alibaba, Alphabet, Amazon, Netflix, Tencent e outras cinco que, em conjunto, impulsionaram os investimentos globais em propaganda em 29,6%. As 90 demais empresas registraram, ao todo, crescimento de 2,6%.

A Amazon passou do décimo-primeiro para o sétimo lugar, ficando empatada com a AT&T com investimentos da ordem de US$ 6,3 bilhões —o resultado engloba os aportes da AT&T (US$ 3,8 bilhões) e da WarnerMedia (US$ 2,5 bilhões), ex-Time Warner, comprada pela AT&T em junho.

Cuidados pessoais e produtos para o lar foram formam a maior categoria do ranking, com 14 anunciantes e um investimento combinado de US$ 52 bilhões. O mercado automotivo aparece em segundo, com 16 empresas e verba de US$ 47 bilhões. A lista das cem maiores inclui 47 companhias sediadas na América do Norte; 31, na Europa; e 22, na Ásia. Na lista por países, os Estados Unidos lideram com 44, seguidos por Japão (13), Alemanha (10) e França (9).

Tradução: Fernando Murad

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”