Youtubers deveriam ter aplicativos próprios

Buscar

Opinião

Publicidade

Youtubers deveriam ter aplicativos próprios

Com plataforma própria, influenciadores teriam controle sobre a relação com o público e seriam capazes de oferecer uma experiência mais rica e envolvente


13 de julho de 2017 - 8h00

(crédito: Yakobchuk Olena/iStock)

Ao longo da última década, o YouTube tornou-se a principal plataforma de vídeo online e conquistou seu território onde outros concorrentes como o Blip falharam. Atualmente, essa plataforma é um canal de mídia crucial para grandes celebridades da internet que viraram heróis, por meio de seus vídeos, para essa nova geração de espectadores.

Desafio da monetização
Embora o YouTube forneça aos criadores de conteúdo uma ótima plataforma para atrair fãs e compartilhar vídeos, muitos dos usuários mais influentes buscam maneiras de se envolver com seus seguidores e transferir a fama do YouTube para a receita financeira. Alguns dos desafios enfrentados por esses influenciadores incluem confiança nas formas de publicidade, falta de controle e acesso aos dados dos fãs e interações limitadas com sua base de seguidores.

A receita de publicidade é uma importante fonte de renda para os influenciadores do YouTube. No entanto, o retorno publicitário que a plataforma fornece nem sempre é seguro. O recente alvoroço em torno de anunciantes preocupados que seus anúncios possam “aparecer próximos a vídeos contendo discurso de ódio, promovendo organizações terroristas ou outros conteúdos obviamente inseguros para suas marcas estarem associadas” é prova disso. Se os anunciantes começarem a se afastar do YouTube, será mais difícil para os influenciadores monetizarem seus vídeos e ganharem a vida.

Para superar o obstáculo do retorno financeiro através da publicidade online, muitos influenciadores estão à procura de novas formas de rentabilizar o seu conteúdo e expandir o seu público, além de alcançar toda sua base, claro. No entanto, o YouTube só permite que os usuários acessem um conjunto limitado de dados do inscrito, como faixa etária, locais gerais de reprodução e tipos de dispositivos. Estes dados são insuficientes para os influenciadores que trabalham numa estratégia de crescimento mais detalhada.

O crescimento do influenciador é também diretamente proporcional à interação que ele tem com seus fãs. Ao longo dos anos, a seção de comentários do YouTube teve funções – incluindo a capacidade de postar uma resposta de vídeo – removidas da plataforma. Outras funções são simplesmente inconvenientes ou irrealistas, especialmente para canais populares que recebem centenas de comentários ou mensagens de cada vez. Quanto maior o canal, mais tempo, energia e recursos são necessários para moderar as interações dos fãs. Sendo assim, faz-se necessário que os influenciadores tenham uma maneira sólida, confiável e transparente para obter os dados de fato importantes, interagir com os fãs e monetizar por meio do seu status de celebridade online.

Apps próprios
Há várias razões pelas quais um influenciador do YouTube deve se afastar da plataforma online e lançar seu próprio aplicativo para dispositivos móveis. Para começar, a relação entre um influenciador e os fãs não deve ser prejudicada por uma plataforma que não possibilita grandes interações. Em um aplicativo individual, influenciadores teriam controle absoluto sobre sua relação com o público e ser capaz de oferecer uma experiência mais rica e envolvente.

Aplicativos individuais também fornecem mais opções de monetização para o influenciador. As maiores oportunidades de receita no YouTube são normalmente anúncios exibidos no vídeo, mas o público moderno não gosta de anúncios “desnecessários” e sai da página se eles forem muito frequentes ou longos. Com um app, influenciadores poderiam trabalhar em uma loja online ou assinaturas pagas que permitem a visualização de conteúdo sem anúncio. Isso lhes permitiria ganhar dinheiro sem a necessidade de anunciantes.

Finalmente, um aplicativo individual permitiria que os influenciadores possuíssem todos os seus dados da base de fãs. Uma vez que um influenciador sabe quem está assistindo, de onde estão acessando e o que realmente gostam de ver, ele pode usar esses dados para projetar melhor o conteúdo e atrair um público ainda maior. Este é um benefício chave para o público que já o segue, para conseguir novos seguidores e, é claro, para o influenciador também.

Além disso, tendo o próprio aplicativo, com o tempo, os influenciadores poderão seguir com suas carreiras na era digital sem precisar carregar o título de youtubers, podendo, então, trabalhar em novas estratégias da sua própria marca dentro de uma plataforma única e original.

Uma vez que os influenciadores compreendam completamente o valor dos dados do público-alvo, a monetização avançada e o engajamento bidirecional, os veremos migrar de plataformas online como o YouTube para o universo dos aplicativos para dispositivos móveis.

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”