WPP: mídia se sobressai e agências integradas crescem pouco

Buscar

WPP: mídia se sobressai e agências integradas crescem pouco

Buscar
Publicidade

Comunicação

WPP: mídia se sobressai e agências integradas crescem pouco

Em 2023, GroupM cresceu 4,9%, enquanto receita orgânica das agências, com exceção da Ogilvy, retrocedeu 1,6%


23 de fevereiro de 2024 - 11h25

Principal mercado para o WPP, os EUA apresentaram retração de 2,8% na receita em 2023 (Crédito: Divulgação)

Mark Read, CEO do WPP, definiu 2023 como um ano mais difícil que o esperado, em apresentação aos acionistas nesta quinta-feira, 22. A holding encerrou o ano com receita orgânica de US$ 15 bilhões e 0,9% de alta em relação a 2022.

As ações do grupo em Londres caíram 3% na manhã desta quinta, assim que os resultados referentes ao quarto trimestre e ao ano de 2023 como um todo foram divulgados.

No quarto trimestre, a receita cresceu 0,3%. Nesse período, o mercado norte-americano apresentou queda orgânica de 4,5% (e de 2,8% no ano), motivado, segundo o WPP, pela diminuição dos investimentos de clientes dos setores de tecnologia, healthcare e varejo.

Por outro lado, o país, que é responsável por 38% da receita do grupo, cresceu nos setores de bens de consumo, telecomunicação e automóveis.

O relatório do grupo agrupou a América Latina junto às regiões da África, Oriente Médio, Europa Central e Oriental. De acordo com o documento, essas localidades continuam a crescer.

As agências globais integradas da holding apresentaram declínio de 1,3% em 2023 e alta de 0,7% no último trimestre do ano. O crescimento mais expressivo veio da área de planejamento e mídia, concentrada na empresa GroupM, com alta de 4,9% no ano e 5,7% no trimestre.

Com exceção da Ogilvy, que cresceu (embora o relatório da holding não tenha precisado quanto), agências como VML e AKQA foram mais impactadas porque têm mais contas na área de tecnologia, afirmou Read.

“Embora 2023 tenha sido mais desafiador do que o esperado, devido a cortes nos investimentos dos clientes de tecnologia, entregamos uma performance resiliente para o ano, com 0,9% de crescimento e melhora de 0,2% em nossa margem operacional. Isso foi impulsionado pelo controle de custos e pelo contínuo investimento em IA, dados e tecnologia”, comentou o CEO, em nota.

Em 2023, o WPP conquistou US$ 4,5 bilhões em novos negócios, que se deram principalmente pelo aumento de participação em clientes já existentes, como Mondelez e Nestlé.

Estratégias para crescer

Nos últimos meses, o WPP deixou clara qual é a estratégia para conseguir otimizar custos e ampliar receita: consolidações de redes globais – VML é resultado da megafusão entre VMLY&R e Wunderman Thompson, e, no PR, o grupo promoveu a junção entre BCW e Hill & Knowlton, formando a Burson.

Além disso, o grupo vem apostando em aquisições em áreas que estão em ascensão na indústria, como marketing de influência. Segundo o WPP, a compra da Goat e da Obviously, duas agências desse segmento, já têm contribuído para o crescimento da companhia.

A principal aposta da holding, contudo, é a inteligência artificial. Depois de ter adquirido a Satalia em 2021 e de ter destinado recursos à plataforma proprietária de IA, WPP Open, a organização firmou parcerias com as big techs IBM, Microsoft, OpenAI e Nvidia.

E, no final de janeiro, anunciou que investirá US$ 317 milhões na tecnologia ao longo deste ano.

“IA será fundamental para nosso negócio e estamos abraçando oportunidades nessa área, assim como nos dados e nas demais tecnologias, enquanto alimentamos o potencial de nossa oferta para os clientes, ao construir marcas de agências globais e direcionar retornos financeiros por meio de uma execução eficiente”, disse Read, em comunicado.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Beel Films expande atuação com filial nos Estados Unidos

    Beel Films expande atuação com filial nos Estados Unidos

    Produtora especializada em entregas de digital acaba de abrir escritório em Miami, onde deve centralizar atendimento de multinacionais

  • Após 12 anos, Grupo Amil retoma agência in-house

    Após 12 anos, Grupo Amil retoma agência in-house

    Grupo de saúde reativa as atividades da Promarket, que foi responsável pela publicidade e comunicação do grupo de 1980 até 2012