Jay Chiat premia Under Armour

Buscar

Comunicação

Publicidade

Jay Chiat premia Under Armour

Grand Prix do prêmio de planejamento vai para o aclamado case ?I will what I want?, da Droga5 para a marca esportiva, protagonizado por Gisele Bündchen


8 de outubro de 2015 - 4h15

*Por Ana Luiza Satos, de Nova York

O 4A’s Strategy Festival 2015 encerrou sua edição com o anúncio do Grand Prix do Jay Chiat. O case vencedor deste ano foi o aclamado case “I will what I want”, da Droga5 para a marca esportiva Under Armour. Na visão dos jurados do Jay Chiat, o case materializa o planejamento em sua melhor forma e por isso se destacou dos demais competidores. Foi conceitual e trouxe à vida uma campanha poderosa que ajudou a sociedade a discutir a pressão social que as mulheres vivem, independentemente de cor, credo ou situação financeira.

O case, apresentado pela senior strategist da Droga5, Candice Chen, funcionou como a síntese de todas as discussões sobre o que se espera do planejador de hoje e, de certa forma, foi uma grande válvula de escape e esperança para uma área mais atuante, com trabalhos acima de tudo verdadeiros na sua intenção e realistas nos seus resultados.
 

wraps

As premissas do case:

1. Necessidade de negócio como gatilho do trabalho: a Under Armour é uma marca esportiva que tinha um posicionamento absolutamente orientado para a performance esportiva masculina. Isso dificultava o crescimento do negócio, já que a moda esportiva feminina casual é bastante representativa do ponto de vista de business. Nike, Adidas, Lululemon e até Victoria’s Secret já tinham posições estabelecidas no mercado, e a Under Armour era uma marca com testosterona demais para entrar na lista de consideração feminina.

2. Mergulho na cultura e no comportamento do target: um painel com influenciadores culturais ajudou a agência a chegar à tensão humana que melhor representa o nosso tempo – uma cultura obcecada em discutir como as mulheres devem ou deveriam ser. E marcas que lidam com o assunto tendem a colorir tudo de rosa.

3. Uma ideia poderosa e simples: “I will what I want” é uma proposta para que as mulheres se libertem da pressão social e definam o que é sucesso nos seus próprios termos. As mulheres que praticam esporte nem sequer se consideram esportistas.

4. Premissas de engajamento: aqui a campanha começou a tomar forma, representando as mulheres que não precisam de permissão, porta-vozes que não são atletas tradicionais. Misty Copeland ̶ uma bailarina que foi rejeitada repetidamente por ter o “corpo errado”, por ser velha (com apenas 13 anos!) e, o não dito explicitamente, por ser negra ̶ e Gisele Bündchen, que é uma mulher tão bem-sucedida, e por isso cobrada para se encaixar em todos os padrões que a sociedade espera de uma celebridade. Under Armour queria incendiar a discussão sobre o assunto.

5. Plano de comunicação inteligente que considerou, desde o momento zero, a repercussão social da campanha, tanto na execução off-line como do ponto de vista de relações públicas – Gisele participou de vários programas de entrevistas, posicionando-se sobre a pressão social que as mulheres sofrem. Segundo Candice, a repercussão social da campanha foi tão planejada quanto a produção do filme, com os comentários reais das pessoas sobre a Gisele ser a porta-voz de uma marca de esporte.

Os resultados vieram, quali e quantitativamente: após a campanha, o awareness da marca subiu 120% entre as americanas de 18 a 34 anos, Under Armour cresceu 210% em preferência no mesmo target e as vendas avançaram em 30%. E, do ponto de vista do contexto cultural, a Droga5 fortaleceu a discussão sobre o papel feminino, dando mais poder a cada mulher, mas respeitando a sua individualidade, em vez de assumir o papel de ditar o que é certo ou errado.

*Ana Luiza Santos é diretora de planejamento da Leo Burnett Tailor Made e acompanhou esta semana em Nova York o 4A’s Strategy Festival 2015

Sobre o 4A’s Strategy Festival 2015, leia também:

Ação: nova perspectiva do planejamento
https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/noticias/2015/10/07/Opini-o–A–o—nova-perspectiva-do-planejamento.html

O planejamento na versão 3.0
https://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/noticias/2015/10/06/O-planejamento-na-vers-o-3.0.html
 

Publicidade

Compartilhe

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”