Processo de unificação leva Walmart a abrir concorrência

Buscar

Comunicação

Publicidade

Processo de unificação leva Walmart a abrir concorrência

Atualmente atendida pelas agências DM9 e Paim, varejista busca um parceiro que atenda todas as suas marcas; Isobar segue como agência para o digital da rede

Luiz Gustavo Pacete
19 de junho de 2017 - 10h45

Em meio a um processo de reestruturação e unificação de marcas, o Walmart abriu processo de concorrência para unificar suas agências. Atualmente, a DM9 atende os hipermercados e supermercados e a Paim atende a bandeira TodoDia e o Maxxi Atacado. O objetivo, segundo a empresa, é unificar a conta. O Walmart não confirma os prazos para a finalização da concorrência.

Em outubro do ano passado, a companhia deu início a um processo de integração de marcas e do projeto de “transformar o conceito de hipermercados”. As mudanças, a partir de pesquisas com consumidores, começaram nas lojas Walmart, de Tamboré (SP), e Big, de Novo Hamburgo (RS) e Santa Felicidade (PR). Na mudança, a rede também anunciou que na região Sul as lojas Big serão convertidas para a bandeira Walmart, assim como as do Hiper Bompreço, na região Nordeste.

Em entrevista ao Meio & Mensagem, na semana passada, André Svartman, diretor-geral de marketing do Walmart, deu detalhes do novo momento da companhia e o impacto em sua estratégia de mídia. Além de ter comentado a vitória da Isobar para cuidar da conta digital da marca, antes nas mãos da DM9, que segue como a agência de marca do grupo. “Achamos que era o momento de o digital ganhar cara por si só”, afirma Svartman.

Ainda de acordo com o executivo, serão investidos R$ 1 bilhão nos próximos três anos em um processo que inclui levar esse novo conceito de hipermercados ao Brasil. “Teremos uma marca só. Neste momento, muitas ações não fazem sentido. No ano passado, patrocinamos o BBB. Mas não faz sentido atuar em uma plataforma massificada se não tivermos presença em todas as praças como marca. Eu estou presente, mas com outras marcas. Qualquer patrocínio ou ação massificada não faz sentido na forma como está hoje. Agora, quando eu unifico isso, passo a ter várias possibilidades”, diz Svartman.

Publicidade

Compartilhe