Galeria nasce com ambição de manter independência nacional

Buscar
background - RTB House

Comunicação

Publicidade

Galeria nasce com ambição de manter independência nacional

Edu Simon, Paulo Ilha, Rafa Urenha e Pedro Cruz comandam agência que traz mais dez lideranças, todas com participação societária

Isabella Lessa
13 de agosto de 2021 - 8h19

Equipe de lideranças da Galeria, nova agência fundada por Edu Simon, Paulo Ilha, Pedro Cruz e Rafa Urenha (Crédito: Divulgação)

Os sócios-fundadores Edu Simon, Paulo Ilha, Rafa Urenha e Pedro Cruz (ex-FCB e Ambev) apresentam ao mercado a Galeria. Na semana passada, Meio & Mensagem antecipou a notícia da saída dos três executivos da DPZ&T para abrir a nova agência, que nasce com outras dez lideranças, todas com participação societária, e três contas robustas (egressas da DPZ&T): Itaú, McDonald’s e Natura.

De acordo com Simon, CEO da operação, estender a oferta de sociedade à parte da equipe é um caminho tanto para a retenção de talentos, que ele julga ser o maior desafio do mercado publicitário atualmente, quanto para a renovação contínua do negócio, já que cada projeto a ser desenvolvido para os clientes contarão com a participação de ao menos um sócio.

Compõem a liderança da Galeria outras sete pessoas que estavam na DPZ&T: Ana Coutinho, ex-vice-presidente de atendimento e negócios, os diretores Higor Silva (financeiro), Ducha Lopes (produção), Patricia Capuchinho (comunicação) e Kaline Léssio, Patricia Alves e Sofia Raucci (mídia). Completam o time Guido Sarti, até então gerente executivo de inteligência de dados da CCR, mas com passagem anterior pela DPZ&T, Carolina Mello, planejadora e fundadora da consultoria Marcas com Sal, e mais uma ainda a ser anunciada.

 

Logo da nova agência (Crédito: Divulgação)

Simon acredita que a Galeria nasce em um momento de transformações necessárias no mercado. Depois de mais de um ano trabalhando em casa, cresceu nele e nos sócios-fundadores a vontade de empreender. “A transformação virá de pessoas empreendendo. Não somente a gente, estou vendo outras agências surgindo. E é dessas inquietudes que a gente vai transformar o mercado”, afirma. De acordo com ele, para fazer as mudanças nas quais eles acreditam, era preciso investir em uma estrutura mais leve, ágil, com a sociedade fincada no Brasil.

O Publicis Groupe terá participação minoritária na nova agência, mas sem a intenção de aumentá-la, assegura Simon. Ele conta que as tratativas com a holding francesa giraram em torno, principalmente, do legado da DPZ&T, que agora é comandada por Fernando Diniz, ex-CSO, na posição de CEO. “A DPZ&T está fazendo um trabalho rápido de reposição das peças sob a liderança do Fernando”, diz Simon (na próxima edição semanal de Meio & Mensagem, Guillaume Epstein, COO do Publicis Groupe no Brasil, comenta as recentes mudanças no grupo).

Modelo de negócios
O diagnóstico do problema das marcas será um dos focos da Galeria, motivo pelo qual Pedro Cruz foi escolhido para a função de chief strategy officer. Até 2019 ele trabalhou como chief operating officer da FCB e, desde então, vinha se dedicando a projetos pessoais. “Pedro veio com a ideia de transformar a área de planejamento, de mergulhar a fundo no diagnóstico para depois aplicar a criatividade como solução dos problemas dos clientes”, explica Simon.

Com essa abordagem, a agência pretende focar em um modelo de funil integrado, que passa por três etapas: awareness, consideração e conversão, sempre tendo como base criatividade uso de dados e tecnologia. A remuneração se dará com base nos resultados atingidos E a operação conta ainda com uma estrutura de produção integrada, focada no always on, para oferecer um modelo de negócios baseado em consideração para as marcas.

Sede e colaboradores
A Galeria já conta com cerca de 200 colaboradores trabalhando em home office. Mas a ideia é que, assim que for possível, a equipe passe a frequentar a sede da Galeria na rua Mourato Coelho, na Vila Madalena. O espaço, localizado em um prédio de Isay Weinfield, foi concebido pelo Escritório Metropolitano de Arquitetura (EMA) e pensado para alocar squads, sem lugares fixos.

Publicidade

Compartilhe