Papel & Caneta questiona falta de jurados negros em Cannes

Buscar
Publicidade

Comunicação

Papel & Caneta questiona falta de jurados negros em Cannes

Carta aberta destinada a Simon Cook, CEO do festival, conta com apoio da Chapa Preta, do Auê Creators e do Conselho do Coletivo Publicitários Negros


4 de maio de 2022 - 14h47

O coletivo sem fins lucrativos Papel & Caneta colocou no ar uma página com uma carta dirigida a Simon Cook, CEO do Cannes Lions, questionando a falta de pessoas negras no time de jurados brasileiros no festival.

 

(Crédito: Reprodução)

Dos 30 profissionais selecionados para os júris da premiação neste ano, somente um é negro: Angerson Vieira, diretor executivo de criação da Africa.

A carta começa dizendo que, apesar de provavelmente a maioria dos criativos brasileiros conhecidos por Cook sejam brancos, mais da metade da população brasileira é negra.

“Entendemos que não é uma tarefa fácil selecionar um júri e que muitos fatores precisam ser considerados, mas nós, como indústria, estamos com pressa para realizar as mudanças urgentes que estão nos impedindo de construir esse futuro inovador. Não podemos ficar calados diante da falta de inclusão e representatividade que é hoje um dos maiores motivos – se não o maior – de atraso da criatividade do Brasil e de toda a sociedade”, diz o documento, que também faz a pergunta: “se os critérios de Cannes não contemplam essa inclusão e essa representatividade, o que precisa mudar não seriam os próprios critérios?”

Apoiadores da iniciativa podem tuitar a carta por meio de um clique em um botão da página, que reforça o pedido à conta de Simon Cook no Twitter.

A carta também conta com apoio da Chapa Preta, que preside o Clube de Criação, do Auê Creators, hub de impacto e inteligência cultural, e do Conselho do Coletivo Publicitários Negros, grupo formado por mais de 2.800 profissionais negros do mercado brasileiro de comunicação.

Publicidade

Compartilhe

Veja também