Cless reverte vendas à ONG de mulheres vítimas de violência

Buscar

Marketing

Publicidade

Cless reverte vendas à ONG de mulheres vítimas de violência

Ação protagonizada pelo ator Felipe Titto tem objetivo de conscientizar os brasileiros sobre número crescente de violência contra a mulher no País

Amanda Schnaider
4 de março de 2020 - 6h00

Com o objetivo de conscientizar as pessoas em relação aos números crescentes de casos de violência contra a mulher, que acontecem diariamente no Brasil, a Cless Cosméticos lançou nesta terça-feira, 3, a campanha “Meu amigo não bate em mulher”, criada pela própria equipe de marketing da empresa. O ator Felipe Titto foi escolhido como embaixador da ação. “A campanha trata sobre o tema de uma forma que eu nunca havia pensado. É preciso falar sobre violência e convocar os homens para esta luta”, comenta Titto.  

Como parte do projeto, a companhia reverterá 3% das vendas de suas linhas Charming Men e Salon Opus para a ONG Turma do Bem, que oferece tratamento odontológico gratuito às mulheres vítimas de violência, por meio do programa Apolônias do Bem.  “Com essa campanha, a Cless inaugura seu braço de terceiro setor. Nosso intuito é engajar os homens e a sociedade como um todo para que possamos juntos mudar esta realidade tão dura”, explica Kátia Coutinho, diretora de marketing e trade da Cless Cosméticos.

O Brasil é o 5o país do mundo em número de feminicídios.

**Crédito da imagem no topo: Frimages/iStock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Kátia Coutinho

  • Felipe Titto

  • Instagram

  • Cless Cosméticos

  • apolônias do bem

  • Campanha

  • Mulheres

  • violência

  • conscientização

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”