Neoenergia se torna patrocinadora do futebol feminino brasileiro

Buscar

Marketing

Publicidade

Neoenergia se torna patrocinadora do futebol feminino brasileiro

Empresa assinou contrato com a CBF para o patrocínio das seleções até 2024; Brasileirão feminino faz parte do acordo e ganha o nome de Brasileirão Feminino Neoenergia

Valeria Contado
2 de junho de 2021 - 9h54

Neoenergia se torna nova patrocinadora da seleção brasileira feminina e do campeonato brasileiro. (Créditos: Thais Magalhães/CBF)

A Neoenergia, empresa parte do grupo espanhol Iberdrola, e que atua em solo brasileiro desde 1997, se tornou a nova patrocinadora do futebol feminino no Brasil. O acordo foi firmado com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta terça-feira,1, e anunciado pela entidade em suas redes sociais oficiais.

O contrato tem quatro anos de duração e prevê a permanência da marca como patrocinadora nos uniformes de treino da seleção feminina, ações promocionais e ativações nas redes sociais.

Até 2024, a marca deve acompanhar a Seleção brasileira feminina em competições como Jogos Olímpicos de Tóquio e de Paris, Copa América e a Copa do Mundo. As seleções de base (sub-20 e sub-17) também serão contempladas.

A Neoenergia é a primeira empresa no país a patrocinar exclusivamente a seleção feminina. A Neoenergia e o Grupo Iberdrola desenvolvem um projeto que impulsiona a participação das mulheres no esporte, e que, atualmente, conta com mais de 330 mil atletas subsidiados pela marca.

“Apostamos nessa ação de apoio ao esporte feminino com a convicção de que lutamos pela igualdade de oportunidades. Essas esportistas são o espelho em que miram muitos homens e mulheres, são exemplos para tantas outras que veem no esporte uma janela de oportunidades”, comentou Mario Ruiz-Tagle, CEO da Neoenergia durante a apresentação da marca.

Além disso, o Campeonato Brasileiro Feminino A1 também será beneficiado pelo acordo. A empresa terá seu nome gravado nas placas de publicidade presentes nos estádios onde acontecem os jogos e nos backdrops de entrevistas. A partir de agora, a competição passa a se chamar Brasileirão Feminino Neoenergia.

Rogério Caboclo, presidente da CBF, reforça a importância do acordo tanto para a entidade quanto para o engajamento com o esporte. “Essa parceria vai conjugar o apoio ao futebol feminino com as causas da igualdade e da sustentabilidade”, reforça. Por determinação da Conmebol, todos os times masculinos de futebol que disputam competições sul-americanas, como a Libertadores, precisam ter uma equipe feminina.

Atualmente, o Brasileirão Feminino conta com patrocínio master das marcas Guaraná Antárctica e Riachuelo. As transmissões são realizadas pela CBF TV e pelo Canal Desimpedidos, na internet, e aos domingos pela Band, na TV Aberta. Até o momento, 11 rodadas já foram disputadas pelas 16 equipes.

Vale ressaltar, também, que no final de 2020, o Guaraná Antárctica propôs uma ação que convidava as marcas a apoiarem o futebol feminino. Como retribuição, os apoiadores seriam estampados nas latinhas do refrigerante. A ação desenvolvida pela Soko conseguiu a participação de Avon, Banco BMG, Burger King, Consul, ESPN, GOL, Halls, Lay’s, Puma e Vivo.

Publicidade

Compartilhe