Toyota desiste de ativar patrocínio dos Jogos Olímpicos

Buscar

Marketing

Publicidade

Toyota desiste de ativar patrocínio dos Jogos Olímpicos

Fabricante de automóveis declarou, também, que seus executivos não comparecerão à cerimônia de abertura da Olímpiada de Tóquio


19 de julho de 2021 - 10h07

(Crédito: iStock/Ryosei Watanabe)

Patrocinadora dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a Toyota comunicou nesta segunda-feira, 19, uma mudança em relação à ativação do evento. A companhia declarou que não fará anúncios na mídia japonesa para promover os Jogos e que seus executivos não comparecerão à cerimônia de abertura, que acontecerá nesta sexta-feira, 23, em Tóquio.

De acordo com reportagens publicadas pela mídia internacional, a montadora comunicou sua decisão no início desta semana, no Japão. “É verdade que a Toyota não estará na cerimônia de abertura e a decisão foi tomada considerando vários fatores, incluindo a ausência de espectadores. Nós não veicularemos nenhum comercial relacionado aos Jogos no Japão”, disse uma porta-voz da companhia.

A postura da Toyota deve-se, de acordo com a imprensa internacional, ao fato de os Jogos Olímpicos não estarem recebendo apoio da maioria do público japonês, que desaprova a realização do evento esportivo em meio à pandemia de Covid-19. Nas últimas semanas, o país viu os números de infectados aumentar e a cidade voltou a declarar estado de emergência. Parte das competições e jogos da Olimpíada, incluindo a cerimônia de abertura, não terão presença de espectadores (apenas as delegações esportivas e convidados poderão acompanhar a abertura).

A realização dos Jogos começou a gerar ainda mais polêmica após a confirmação de casos de Covid-19 na Vila Olímpica. Nesta segunda-feira, 19, foi confirmando que o jogador de vôlei de praia Ondrej Perusic, da República Tcheca, testou positivo para a Covid-19, o que já seria o terceiro caso de atleta infectado com o vírus antes mesmo dos jogos começarem.

Apesar da decisão de não ativar seu patrocínio aos Jogos Olímpicos de Tóquio, a Toyota segue como patrocinadora do Comitê Olímpico Internacional. O contrato entre a companhia e o Comitê – que também envolve os Jogos Paralímpicos – começou em 2017 e é válido para todo o ciclo esportivo até 2024.

Copa América
Recentemente, o Brasil também viu um movimento de patrocinadores que preferiram não se vincular à realização de eventos esportivos que apoiavam. A realização da Copa América no País gerou muitas críticas por conta da pandemia de Covid-19 e, por conta da repercussão, patrocinadores como Mastercard, Diageo e Ambev decidiram não fazer nenhuma ativação ou comercial para promover a competição de futebol. Apesar disso, as marcas mantiveram-se como patrocinadoras do torneio.

Publicidade

Compartilhe