Oi apresenta V.tal, de rede neutra de fibra ótica

Buscar
Publicidade

Marketing

Oi apresenta V.tal, de rede neutra de fibra ótica

Com plano de investimentos de mais de R$ 30 bilhões até 2025, companhia pretende viabilizar a entrada de pequenos e médios provedores regionais

Henrique Cesar Mello
6 de agosto de 2021 - 19h14

Após uma separação estrutural dos ativos de infraestrutura de fibra ótica da Oi, surge a V.tal, empresa que oferece soluções de rede neutra fim a fim e serviços de atacado. Sendo avaliada em R$ 20 bilhões, a empresa já conta com mais de 400 mil km de rede nas cinco regiões do País.

Apresentando seu posicionamento de marca, se define como viabilizadora de uma rede de alta velocidade para operadoras e provedores de internet, permitindo a otimização dos investimentos, além da expansão dos negócios com rápida entrada no mercado, evitando a construção de infraestrutura.

“Queremos potencializar e escalar a velocidade de conectividade dos clientes no Brasil. Vimos uma penetração de banda larga de fibra ótica muito baixa no País, cerca de 18%. Quando comparado com outros mercado, está muito inferior”, conta Rafael Marquez, diretor de marketing da V.tal. “Queremos colocar o Brasil no meio dos melhores países de banda larga, alcançando mais domicílios brasileiros”.
A V.tal já chega provendo infraestrutura para as principais operadores de telecomunicações do País, com mais de 260 provedores regionais. Estão previstos mais de R$ 30 bilhões de investimentos até 2025, além de 32 milhões de HPs (pontos de acesso) até lá.

Futuramente será controlada por fundos de investimento do Banco BTG Pactual, após a conclusão do processo de transferência de participação de controle, que atualmente pertence a Oi. Após o encerramento da operação, os fundos da BTG assumirão a responsabilidade pela gestão da companhia, e a Oi ficará como acionista minoritário e importante cliente da empresa.

Rafael Marquez, diretor de marketing da V.tal (Créditos: Divulgação)

“Olhamos bastante quais são os grandes atributos das propostas que a empresa deveria ter e, para resumir, queremos ser uma grande viabilizadora de entrar em novas regiões, oferecendo o crescimento para os pequenos e médios provedores”, conta Rafael.

Para o futuro, a empresa busca aumentar a rede de conectividade do País, além dos 400 mil km que já tem. “A conectividade virou quase que o ar de tão essencial hoje em dia, então, isso deu uma acelerada na demanda da internet. Queremos ajudar a ter mais casas conectadas para trabalhar, produzir, estudar e se comunicar com os amigos.”

Publicidade

Compartilhe