E-commerce bate recorde no Brasil, indica Ebit | Nielsen

Buscar

Marketing

Publicidade

E-commerce bate recorde no Brasil, indica Ebit | Nielsen

De acordo com o relatório Webshoppers, foram comercializados R$ 53 bilhões produtos no primeiro semestre, alta de 31%


11 de agosto de 2021 - 16h48

O relatório Webshoppers, realizado pela Ebit | Nielsen em parceria com o Bexs Banco, apontou recorde batido pelo comércio eletrônico no primeiro semestre de 2021. O e-commerce chegou à marca de R$ 53,4 bilhões, atingindo crescimento de 31% em relação ao mesmo período no ano passado. Além disso, a 44ª edição do levantamento apontou outros dados interessantes.

Os celulares foram o canal de venda da vez. Representando mais da metade do faturamento total do e-commerce e do número de pedidos no primeiro semestre (Créditos: PhotoMix/Pexels)

O resultado foi impulsionado, principalmente, pelo aumento de 22% no ticket médio, passando para R$ 534, junto do aumento de 7% nos pedidos, chegando a 100 milhões. E mesmo com um número de consumidores novos levemente menor que o ano passado, este ano mostra que eles estão com apetite mais alto do que as pessoas que estão acostumadas a comprar online, atingindo um ticket médio de R$ 556.
Importância do mobile

Os celulares foram o canal de venda da vez. Representando mais da metade do faturamento total do e-commerce e do número de pedidos no primeiro semestre, as vendas no mobile chegaram a R$ 28,2 bilhões, tendo um crescimento de 28,4%, já os pedidos chegaram a 56,3%.

Os segmentos que mais se destacaram na pesquisa foram o de Departamento e o Esportivo. Tendo uma expansão de 37% no volume de vendas e 14% no número de pedidos, e 48% de alta em vendas e 27% no crescimento de pedidos, respectivamente, eles são seguidos pelos segmentos de Pet Shop, com alta de 56% no faturamento e 48% nos pedidos, e Alimentos (alta de 34% e 8%).

Já o segmento de Casa e Decoração teve alta de 155% em vendas e 67% em pedidos, sendo que 34% dos seus consumidores chegaram às lojas através de sites de busca, e 20 % pelas redes sociais.
O maior percentual de redes sociais ficou com o segmento de roupas e calçados, 30% dos consumidores vieram de anúncios ou dos perfis das lojas. E o maior em sites de busca é visto em aquisições de produtos automotivos, com 41%.

Publicidade

Compartilhe