O potencial das transmissões esportivas no cinema

Buscar

Mídia

Publicidade

O potencial das transmissões esportivas no cinema

Pela sétima vez, o Super Bowl será exibido nas salas de todo o Brasil; Champions League e Libertadores também já utilizam as telonas como plataforma

Renato Rogenski
14 de janeiro de 2020 - 6h00

Quase 25 mil pessoas assistiram as finais das duas últimas edições do Super Bowl nos cinemas brasileiros, segundo a Cinelive (Crédito da imagem: LeArchitecto/ iStock)

Pelo sétimo ano consecutivo, o canal ESPN e a empresa especializada em transmissão de conteúdo digital via satélite para cinemas Cinelive vão exibir a final do Super Bowl nas telonas de todo o País. No total, mais de 100 salas vão transmitir a partida que decide o campeão da liga de futebol americano NFL. O evento acontece no dia 2 de fevereiro, no Hard Rock Stadium, em Miami, nos Estados Unidos. Os finalistas ainda serão decididos durante os playoffs que correm neste mês de janeiro.

A final da competição consagrada no país norte-americano, e que tem conquistado um número cada vez maior de fãs no Brasil, não é o único grande evento esportivo exibido nos cinemas nacionais nos últimos anos. No dia primeiro de junho de 2019, enquanto Liverpool e Tottenham brigavam em campo pelo título mais importante do futebol europeu, a Champions League, mais de 189 salas de cinema exibiam a partida com transmissão do Esporte Interativo e TNT, com ingressos que variaram de R$ 60 a R$ 80.

“O cinema é a plataforma que mais se aproxima da experiência in loco. Além disso, proporciona a possibilidade de ativar o público de forma efetiva e muito além do local do evento”

Segundo a Cinelive, somando somente as duas últimas edições do Super Bowl (2018 e 2019), o número de fãs que assistiram o evento no cinema chega a quase 25 mil. Para Laudson Diniz, gerente executivo da Cinelive, o potencial das transmissões esportivas no cinema brasileiro é muito grande, sobretudo por conta do amor do brasileiro por esporte. “Normalmente o esporte não é cortado nem mesmo em momentos de crise”, afirma.

Em 2019, a maior competição de futebol entre clubes sulamericanos também entrou no radar do cinema. Por meio de uma parceria entre Cinelive e o canal Fox, mais de 200 salas no país transmitiram pela primeira vez a final da Copa Libertadores da América nos cinemas, que nesta edição foi disputada entre Flamengo e River Plate.

De acordo com o executivo, um outro fator que potencializa esse novo comportamento é o fato de o cinema ser a plataforma que mais se aproxima da experiência in loco. “Além disso, proporciona a possibilidade de ativar o público de forma efetiva e muito além do local do evento”, complementa Diniz. Em sua visão, os eventos esportivos que mais capitalizam são aqueles que apresentam momentos únicos e memoráveis, como Super Bowl e as finais de UEFA Champions League e Libertadores da América.

Não à toa, para potencializar essa experiência, um dos caminhos utilizados é a personalização. Neste ano, por exemplo, a exibição do Super Bowl nos cinemas contará com narração de Rômulo Mendonça e comentários de Antony Curti em uma transmissão exclusiva. Assim, a dupla irá interagir com o público das salas por meio das redes sociais, permitindo que os fãs possam participar da transmissão feita especialmente para os cinemas.

Crédito da imagem de topo: choness/ Stock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • TNT

  • Fox

  • ESPN

  • NFL

  • Cinelive

  • esporte intertativo

  • uefa

  • Libertadores da América

  • Super Bowl

  • Champions League

  • Marketing esportivo

  • Esportes

  • transmissoes

  • cinemas

  • Futebol americano

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”