BuzzFeed: “Não temos mais capacidade de investir”

Buscar

Mídia

Publicidade

BuzzFeed: “Não temos mais capacidade de investir”

SVP Internacional do BuzzFeed explica os motivos que podem encerrar a operação brasileira e o que a empresa está buscando em um parceiro para evitar tal decisão

Thaís Monteiro
13 de abril de 2020 - 6h00

“Nós entramos em 2020 como uma empresa lucrativa e estávamos preparados em investir em nosso negócio no Brasil, mas infelizmente não temos mais capacidade para isso”, conta Matt Drinkwater, SVP Internacional do BuzzFeed. Afetados pela crise econômica instaurada globalmente em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a companhia optou por rever algumas operações, como a brasileira. O BuzzFeed Brasil precisa encontrar um parceiro de negócios até 30 de abril. Caso contrário, a plataforma encerrará as atividades no País. O executivo disse já estar em negociação com potenciais parceiros e busca um time de vendas forte.

 

“O BuzzFeed Brasil estava perdendo dinheiro, mas criou marcas fortes e nós acreditamos que elas prosperarão com investimento contínuo”, afirma Matt Drinkwater, SVP Internacional do BuzzFeed (Crédito: Divulgação/BuzzFeed)

O BuzzFeed Brasil não é o único que está passando por esse processo. O mesmo está acontecendo na Alemanha. No caso da operação brasileira, outro fator contribuiu para o momento. De acordo com e-mail enviado por Drinkwater à equipe brasileira, desde que a liderança do negócio no Brasil mudou, o BuzzFeed Brasil não teve um crescimento significativo ou sustentável.

A fala se refere à saída de Luciana Rodrigues do cargo de head managing director da operação para comandar a Grey Brasil, em janeiro. Desde então, o BuzzFeed não anunciou outra pessoa para a função, mas o executivo garante que as decisões tomadas são consequência apenas da recessão econômica.

Um parceiro comercial permitirá que o BuzzFeed Brasil continue alguns projetos já em andamento, como a mudança de escritório de Pinheiros para a região da Avenida Paulista, cuja proposta era ter mais espaço para receber clientes e produzir conteúdos inéditos. A operação também estava prestes a criar novos clusters de produtores de conteúdo, como é o BuzzFeed Vozes, de criadores negros, e estava planejando novos produtos licenciados das marcas, como os itens de cozinhas do Tasty Demais feitos com a Lotus Global Brasil.

Atualmente, o BuzzFeed também produz conteúdo para o Receitas Nestlé, publisher da Nestlé, e é parceiro de mídia do Theatro Municipal. A operação foi a primeira a criar esses formatos de parcerias –com produção de conteúdo no canal do cliente e com uma instituição cultural — globalmente. Ele ainda é parceiro de mídia do Blue Note. Em novembro de 2019, Luciana disse à reportagem que a maior parte da receita do BuzzFeed Brasil correspondia a publicidade, mas a intenção era fazer 50% vir de parcerias e licenciamentos.

Ao Meio & Mensagem, Matt Drinkwater detalhou como a empresa chegou a tal decisão e quais são os atributos que busca num potencial parceiro.

Meio & Mensagem – Quando o BuzzFeed tomou essa decisão?

Matt Drinkwater – Nós chegamos a essa decisão nas últimas duas semanas, quando vimos o impacto econômico do coronavírus piorar. Nós entramos em 2020 como uma empresa lucrativa e estávamos preparados em investir em nosso negócio no Brasil, mas infelizmente não temos mais capacidade para isso. As condições econômicas atuais estão nos conduzindo a isso. O BuzzFeed Brasil estava perdendo dinheiro, mas criou marcas fortes e nós acreditamos que elas prosperarão com investimento contínuo.

M&M – Que tipos de parceiros o BuzzFeed está procurando?

Nós estamos procurando parceiros que são apaixonados pelas muitas forças de nossas marcas e negócios no Brasil e que possam nos ajudar com investimento e agregar outras forças, como um time de vendas forte, necessário para fazer o negócio sustentável a longo prazo.

M&M – Quais são as perspectivas se o BuzzFeed encontrar um parceiro? O que pode mudar?

Dependendo do parceiro, vamos nos adaptar de maneira que faça sentido. É muito cedo para dizer.

M&M – Outras operações da empresa também estão passando por esse processo?

Sim, nós também estamos procurando parceiros financeiros na Alemanha, onde construímos três marcas fortes. O BuzzFeed Japão tem uma parceria recorrente e bem sucedida com o Yahoo por mais de quatro anos. Nós sabemos que esse modelo pode nos trazer muito sucesso.

M&M – Você menciona, no e-mail que enviou à equipe brasileira que, além do coronavírus, as mudanças na liderança impactaram no negócio. Como?

As mudanças de liderança se referem à operação no Brasil. Nós estávamos no processo de definir uma nova liderança para o futuro da operação depois que Luciana embarcou em um novo cargo fora da empresa. A ida dela não motivou essa decisão. A força externa da recessão econômica atual é inteiramente responsável. Nós acreditamos nesse negócio e estávamos comprometidos em investir para construir e sustentá-lo antes da crise.

M&M – Como você avalia o último ano do BuzzFeed Brasil e o início de 2020?

Nosso time no Brasil fez um trabalho tremendo e construiu marcas amadas no Brasil. Nós acreditamos no BuzzFeed Brasil e a única coisa que mudou foi a recessão econômica causada pelo vírus, que impactou nossa possibilidade de investir o necessário para manter um negócio sustentável.

**Crédito da imagem no topo: Divulgação/BuzzFeed

Publicidade

Compartilhe