AO VIVO

Live Cannes Lions

Todos os dias, a partir das 17h, análises e entrevistas exclusivas do Cannes Lions 2021

Governo dos EUA arquiva venda do TikTok no país

Buscar

Mídia

Publicidade

Governo dos EUA arquiva venda do TikTok no país

Determinação de venda do app a uma empresa local foi feita por Donald Trump no ano passado, mas a administração de Biden quer avaliar os riscos e situação da gestão de dados da empresa chinesa


11 de fevereiro de 2021 - 11h13

(Crédito: Reprodução)

O governo dos Estados Unidos arquivou a venda do TikTok para o Walmart e Oracle, que havia sido exigida no ano passado pela administração de Donald Trump como critério para que a rede social da companhia chinesa ByteDance continuasse operando no País. O processo foi interrompido para que o governo de Joe Biden realize uma ampla revisão os riscos de segurança nacional apresentados pelas empresas de tecnologia chinesa, de acordo com informações do Wall Street Journal.

No ano passado, Trump ordenou que a operação do TikTok nos Estados Unidos fosse vendida a uma empresa estadunidense sob o argumento de que os dados e informações dos cidadãos do país poderiam ser usados de forma indevida pelas autoridades chinesas.  Em setembro, o governo chegou a aprovar as propostas de compra da Oracle e do Walmart, empresas interessadas no negócio. Vários desafios legais, porém, impediram um acordo. A mais recente decisão a respeito do assunto é de 7 de dezembro e concluiu que o presidente Trump provavelmente ultrapassou sua autoridade ao determinar a venda da empresa.

De acordo com o Wall Street Journal, as conversas entre a ByteDance e os funcionários de segurança do Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos continuaram e foi cogitada até a possibilidade de, em vez da venda da operação para empresas locais, uma outra companhia entrasse no negócio apenas com a função de gerenciar os dados no TikTok. Nenhuma decisão, no entanto, foi tomada e nem deve ser até que o atual governo de Joe Biden faça a avaliação dos riscos que envolvem as empresas chinesas e coletas de dados.

Ainda segundo o jornal, Walmart e Oracle podem até fazer parte de um possível acordo, a depender da decisão do governo. A ByteDance, no entanto, não vê mais como iminente a ameaça de ser banida dos Estados Unidos por conta da operação. A empresa, inclusive, chegou a contestar no tribunal a ordem de venda determinada por Donald Trump, pedido que deve ter uma resposta formal na semana que vem.

Com informações do Advertising Age

Publicidade

Compartilhe