Google quer transparência nos anúncios políticos

Buscar
Publicidade

Mídia

Google quer transparência nos anúncios políticos

Na plataforma criada pela big tech, é possível acessar informações das publicidades promovidas por candidatos, partidos e governantes eleitos


24 de junho de 2022 - 16h59

O Google disponibilizou ao público brasileiro o Relatório de Transparência de Anúncios Políticos. A iniciativa consiste em página da web que reúne informações sobre os anúncios políticos comprados nas plataformas de publicidade da big tech, desde novembro de 2021. Atualmente, a plataforma conta com dados de mais de 1,5 mil propagandas políticas.

 

Companhia assumiu compromisso público em 2017 para evitar interferências indevidas nas eleições (Crédito: Shutterstock)

O Relatório considera qualquer anúncio que mencione candidatos, partidos políticos ou governantes eleitos em nível federal. O processo teve início em setembro do ano passado, quando a companhia anunciou a atualização de suas diretrizes de publicidade para dar início a novo processo de verificação para todos os interessados em fazer propaganda política. Em novembro, a verificação se tornou obrigatória.

É com o material coletado desde então que o Google lança o Relatório que seguirá sendo atualizado. Na plataforma, é possível entender quanto foi gasto no anúncio e quantas vezes foi exibido, assim como ter acesso a ferramenta de insights e entender quais candidatos ou partidos mais investiram em publicidade via Google Ads e o Display & Video 360.

O Brasil é a oitava região a contar a ferramenta. O mesmo já foi feito na Austrália, Estados Unidos, Índia, Israel, Nova Zelândia, Reino Unido e Taiwan.

Compromisso público
O lançamento dos relatórios foi um compromisso global firmado pelo Google em 2017. De acordo com a companhia, a iniciativa pretende evitar o risco de interferência indevida no processo eleitoral à medida que o consumo digital cresce. No Brasil, como parte do esforço, a companhia também estabeleceu outras medidas.

A big tech renovou parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para exibir informações oficiais relacionadas às eleições na busca do Google, lançou nova de política de integridade eleitoral no YouTube para remover conteúdo que dissemina alegações de fraude e ofereceu R$ 1,5 milhão por meio de seu braço filantrópico para organizações que promovem diversidade na política.

Publicidade

Compartilhe

Veja também