Dez aprendizados da Covid-19 diretamente da China

Buscar

Opinião

Publicidade

Dez aprendizados da Covid-19 diretamente da China

Lydia Lee, presidente da Weber Shandwick China, compartilhou a como a crise impactou sua operação no país


27 de março de 2020 - 18h38

(Crédito: FG Trade/istock)

Uma das diversas mudanças que essa crise traz para nós é o pensamento global. Não somente um pensamento de mercado global, mas de pessoas que habitam um mesmo mundo e enfrentam um problema em comum. Fazer parte de um grupo de comunicação, com gente de diversos países, nos dá essa perspectiva de perto. Essa troca é muito importante para evitarmos que a Covid-19 se alastre, e tratar assunto com equilíbrio e, principalmente, usando informações importantes de países que já passaram e estão superando o vírus.

Na China, pouco a pouco, após mais de oito semanas em isolamento social, milhões de cidadãos estão retornando às suas rotinas.

Por isso, acho muito importante dividir dez aprendizados que nossa colega Lydia Lee, presidente da Weber Shandwick China, compartilha sobre as últimas semanas em que a crise impactou sua operação, que tem escritórios nas maiores cidades do país, incluindo Pequim, Xangai, Canton e Shenzhen. Essas dicas podem ser muito úteis para empresas e organizações que atualmente estão se preparando para enfrentar diferentes fases dessa situação no Brasil.

1. Um objetivo em mente: a saúde da equipe

Independentemente de ser uma empresa ou uma organização social, os bens mais valiosos são seus colaboradores. É importante entender que, antes de abordar qualquer uma das possíveis preocupações, a primeira coisa deve sempre ser manter o bem-estar das equipes e de suas famílias. As decisões e ações de negócios subsequentes devem sempre ter isso como prioridade.

2. É vital ter uma equipe de crise interna

É essencial organizar uma equipe interna dedicada a gerenciar e responder à crise, com papéis e responsabilidades claramente definidos. Essa equipe pode ser composta por membros da administração, recursos humanos e gerência, para ter a capacidade de tomar decisões em tempo hábil e eficiente.

3. Prepare-se para diferentes cenários

O planejamento em tempos de crise não pode ser linear. É necessário considerar o maior número possível de situações. Por exemplo: o que acontece se ficarmos em quarentena por duas semanas? E se for por um mês, por dois ou até três? O que precisamos fazer se as entradas e saídas da cidade ou do país estiverem fechadas? O que acontece se um dos nossos colaboradores tiver um resultado positivo para a infecção? Esses cenários adversos permitirão antecipar a situação e planejar as reações apropriadas.

4. Membros de uma organização procuram liderança e estabilidade

Em tempos de crise, os indivíduos buscam a estabilidade e a segurança das estruturas às quais pertencem. Isso torna extremamente importante o papel das empresas e organizações nas quais colaboram, pois podem se tornar uma fonte de liderança. Neste momento, é imperativo que as organizações mantenham um relacionamento próximo com seus membros, fornecendo informações claras e atualizadas.

5. O papel-chave da comunicação em tempos de crise

Não apenas os membros de uma organização ou empresa, mas também seus clientes e o público em geral precisam conhecer o status e as medidas adotadas por ela em tempos de crise. Ter canais de comunicação abertos e transparentes, além de informações precisas e atualizadas, pode fazer uma grande diferença positiva. É importante considerar a diferença entre comunicação interna, que deve ser muito mais constante e amigável, e comunicação externa, que deve se concentrar no que é mais urgente (para evitar informações excessivas) e requer um tom mais formal e oficial. É essencial ter canais de comunicação com objetivos e funções definidos, como e-mail, canais de mídia social e bate-papos em grupo.

6. Nossos piores inimigos em crise: notícias falsas e informações em excesso

Embora seja importante manter todos os membros de uma organização informados rapidamente, é igualmente importante ter informações concisas e verdadeiras. Informações desnecessárias excessivas, bem como a divulgação de fatos falsos, dificultam seriamente as decisões de uma organização e afetam negativamente seus membros. Por esse motivo, é essencial usar apenas fontes de informação verificadas e oficiais, de maneira prudente e moderada.

7. A vida deve continuar, na medida do possível

Tendo em mente que o objetivo principal de uma organização deve ser manter seus membros saudáveis, também é importante ajudar a manter o espírito e as atividades necessárias para gerar estabilidade. Atualizações semanais sobre a situação na organização, bem como os planos para os dias seguintes, são pontos de contato importantes, principalmente quando estiverem no modo de trabalho remoto.

8. Flexibilidade para reorganizar

A capacidade de se adaptar a novas situações é essencial em tempos de crise. No entanto, para fazer ajustes e reestruturação de funções é necessário ter em mãos as informações precisas sobre as capacidades e a experiência de todos os membros da organização. Cada indivíduo é único nas atividades que pode realizar, mas para tirar proveito de suas capacidades em funções diferentes das normais é necessário primeiro saber onde eles podem ser de maior benefício para a organização.

9. Uma crise é a hora de aumentar a colaboração entre o setor privado e os governos

Independentemente da posição política de uma empresa ou organização, durante uma situação como essa é essencial manter um relacionamento de colaboração com o governo. Isso vai desde manter os canais de comunicação abertos a fornecer um possível suporte para as medidas adotadas. A colaboração pode fazer uma diferença significativa dentro e fora de uma organização.

10. É necessário permanecer atento à transformação cultural e econômica

As crises têm impacto em quase todos os aspectos da vida das pessoas e da sociedade, e muitas delas podem se tornar permanentes. De empresas que adaptam seus modelos de negócios a novos serviços que surgem da necessidade ou novos costumes adotados por uma população, são exemplos das transformações que devem ser levadas em consideração. Quando os tempos de crise tiverem passado — e mesmo quando ainda estamos neles —, será de extrema importância adaptar-se aos novos tempos, pois nem tudo será o mesmo de antes. No caso das empresas, elas serão forçadas a desenvolver novas formas de se relacionar com seus clientes, exigindo muita criatividade.

Acredito que o mundo resolveu dar um reset. Tudo estava muito bugado. Esse vírus foi o mundo nos hackeando para dar uma formatada geral. Vamos aproveitar isso. Vamos ouvir o recado. Vamos nos reinventar. Cada um fazendo sua parte para que possamos sair o mais rápido possível dessa crise e aprender com tudo isso que estamos vivendo.

**Crédito da foto no topo: Reprodução

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Lydia Lee

  • Weber Shandwick

  • comunicacao

  • Planejamento

  • Crise

  • Empresas

  • governo

  • China

  • Equipe

  • Trabalho remoto

  • colaboradores

  • covid-19

  • novo coronavírus