Como aproximar profissionais LGBTQIA+ do mercado de trabalho?

Buscar

Como aproximar profissionais LGBTQIA+ do mercado de trabalho?

Buscar
Publicidade

Marketing

Como aproximar profissionais LGBTQIA+ do mercado de trabalho?

Realizada neste dia 31, em São Paulo, Feira DiverS/A terá edições em outras cidades e conta com apoio de marcas para acelerar a empregabilidade


31 de maio de 2023 - 12h10

Feira DiverS/A LGBTQIA+

Edição 2022 da Feira DiverS/A: neste ano, evento será realizado em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belém (Crédito: Divulgação)

Contribuir para o desenvolvimento da carreira e o aumento da empregabilidade de pessoas LGBTQIA+. Esse é o objetivo da Feira DiverS/A, evento que acontece nesta quarta-feira, 31, no espaço Cubo Itaú, em São Paulo.

A partir deste ano, a iniciativa, que já teve oito edições, passou a ser realizada pelo Instituto Mais Diversidade, dedicado justamente a promover a inclusão dessa comunidade no mercado de trabalho. Além da programação desta quarta-feira, dedicada a profissionais e empresas, no dia 3 de junho a Feira DiverS/A abrirá seu conteúdo e portas ao público, em outro evento, realizado na Universidade Anhembi Morumbi.

A ideia, de acordo com a organização, é ampliar o networking entre os profissionais LGBTQIA+ e suas potenciais empregadoras, bem como abrir os caminhos para a inserção de universitários no mercado de trabalho.

“Vários estudam demonstram que empresas com times diversos são mais lucrativas e relacionamento diretamente a diversidade a ambientes de trabalho mais inovadores”, comenta Helen Faquinetti, diretora executiva do Instituto Mais Diversidade.

Para além disso, segundo ela, é também papel das empresas promover o aumento da equidade e ambientes de trabalho livres de discriminação, como forma de influenciar avanços na sociedade.

Feira DiverS/A chegará a outras cidades

Além desta edição, em São Paulo, o Instituto Mais Diversidade pretende levar a experiencia da Feira DiverS/A para outros locais. Helen lembra que, em 2020 e 2021, por conta da pandemia de Covid-19, foram realizadas duas edições online, quando foram atingidos números recordes de participação, com pessoas de todos os estados brasileiros.

“Quando voltamos para o formato híbrido em 2022 vimos a oportunidade de continuar abrangendo outras localidades do País, dessa vez de forma presencial em cinco capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador e Belo Horizonte). Nesse formato, alcançamos cerca de 3 mil pessoas de 26 estados brasileiros, que participaram de 30 sessões ao vivo”, conta a diretora executiva.

Já para 2023, a Feira DiverS/A terá, além de São Paulo, edições presenciais no Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belém. As datas desses eventos ainda serão definidas.

Patrocinadores da Feira DiverS/A

Nesta edição de 2023, o projeto da Feira DiverS/A conta com patrocínio de 40 empresas. Entre elas, estão Itaú, Bain, Bradesco, Mondelez, Porto, Ocyan, Globo, Grupo Pão de Açúcar, Infojobs, JP Morgan, Plusoft, TIM e outras.

O Instituto ainda disponibiliza outras cotas de patrocínio, em diferentes categorias, para as empresas que queiram se engajar na iniciativa.

“As patrocinadoras têm acesso a oportunidade de conexão com o público, seja participando da programação dos eventos, seja acessando o perfil desses profissionais depois dos encontros presenciais e online”, explica Helen.

A diretora explica, ainda, que desde o no passado a feira vem consolidando uma plataforma permanente de empregabilidade, com um banco de talentos que pode ser acessado pelas empresas patrocinadoras. A ideia, também, é encurtar a distância da comunidade LGBTQIA+ ao mercado de trabalho.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Vinicius Jr. se torna embaixador global da Clear

    Ao lado de Haaland, jogador da seleção passa a integrar time de embaixadores e estratégia voltada ao Brasil

  • PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    PL 1904/24: as marcas devem se posicionar sobre o assunto?

    Proposta que visa equiparar a pena de aborto à de homicídio gera mobilização e discussões a respeito do envolvimento do setor privado na questão