Qual foi o impacto do Remessa Conforme para o e-commerce?

Buscar

Qual foi o impacto do Remessa Conforme para o e-commerce?

Buscar
Publicidade

Marketing

Qual foi o impacto do Remessa Conforme para o e-commerce?

Levantamento encomendado pelo Grupo Alibaba indica que 66% dos consumidores brasileiros desistiram de compras internacionais após a inclusão de impostos

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


5 de fevereiro de 2024 - 13h58

Instituido no ano passado, o Programa Remessa Conforme teve um impacto direto na motivação de compras, conforme indica o Grupo Alibaba. Uma pesquisa encomendada pela gigante chinesa e realizada pela consultoria Plano CDE revela uma taxa de desistência de compras no e-commerce internacional após a implementação de taxas.

remessa conforme

(Crédito: Red Tevarak/ iStock)

O Remessa Conforme é um programa criado pela Receita Federal que dá a isenção de produtos com valor de até US$ 50 para compras feitas em marketplaces participantes do programa.

Os resultados indicam que 66% dos consumidores desistiram de comprar no momento do check-out. Segundo o levantamento, isso se deve à inclusão de impostos.

A pesquisa on-line foi realizada entre 23 de dezembro do ano passado e 09 de janeiro de 2024. Ao todo, foram ouvidas 2.535 pessoas das classes ABCDE de todos os gêneros que realizaram compras on-line nos últimos 12 meses. Há uma margem de erro de 2%, e um intervalo de confiança de 95%.

O impacto foi visto em números. 45% dos consumidores não realizaram a compra em outra loja, seja internacional ou local, após a desistência. Anteriormente, entre novembro e setembro de 2023, 94% dos consumidores haviam comprado via e-commerce – sendo 44% delas em plataformas estrangeiras.

Hábitos de e-commerce

Nesse contexto, 75% do público afirmou se opor ao aumento de tais impostos em plataformas de e-commerce internacionais. Já 90% concordam com a redução da atual alíquota de 92% para produtos acima de US$ 50. Além disso, grande parte da amostra (87%) diz ser mais correto reduzir taxações dos produtos nacionais ao invés de aumentar o imposto dos produtos importados.

Entre as razões que levam ao consumo de plataformas estrangeiras está a indisponibilidade de determinados itens no mercado nacional e a busca por preços mais acessíveis. Os dados indicam que 62% dos participantes entendem que a importação possibilita o consumo, sobretudo daqueles com menos renda. Ademais, 56% comentam que importação dá acesso a produtos diferentes.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Voa Brasil não vai financiar passagens a R$ 200

    Voa Brasil não vai financiar passagens a R$ 200

    O programa Voa Brasil irá organizar e expandir a visibilidade de passagens nessa faixa de valor já disponíveis pelas companhias aéreas

  • Dona do Burger King confirma tratativas para adquirir Starbucks

    Dona do Burger King confirma tratativas para adquirir Starbucks

    Zamp comunicou que vem tendo conversas sobre o direito de explorar a marca e desenvolver operações da rede de cafeterias no Brasil